Os 10 Mandamentos do Marketing para Autores e Editoras

Eduardo Melo (Simplíssimo) Autores, Ebooks, Notícias 1 Comment

Rob Eager, presidente da Wildfire Marketing, publicou alguns dias atrás esta seleção de mandamentos de marketing… será que falta acrescentar algo?

1. Informa as pessoas sobre os resultados que seus livros geram, não apenas os tópicos sobre os quais você escreve;

2. Testa o seu manuscrito sobre grupos de foco e obtenha histórias de sucesso reais, antes de publicar seu livro;

3. Evita cobiçar os amigos do Facebook e os seguidores do Twitter de seu vizinho;

4. Honra os visitantes do seu site, deixando-os fazer test-drive do conteúdo e do conhecimentos dos seus livros;

5. Mantenha uma base crescente de formadores de opinião e envie-lhes regularmente newsletters com valor agregado… justificadamente!

6. Lembre-se do sábado e crave pausas em sua agenda, para recarregar sua mente e alma;

7. Mostra suas informações de contato em todos os materiais de marketing – ou um relâmpago poderá golpear-lhe;

8. Evita a falsa humildade. Não tenha medo de dizer às pessoas sobre o seu livro, quando você sabe que pode ajudá-los;

9. Abstenha-se de idolatrar o livro em si. Pensa grande e multiplica-o em produtos derivados, tais como áudio, vídeo, palestras, coaching, roteiros, etc;

10. Abstenha-se de chamar de demônio, um editor ou jornalista, quando eles cometem erros. Em última instância, você é o responsável por seu sucesso.

Bênçãos estejam com você e seus livros.

Fonte: Digital Book World

SimplíssimoOs 10 Mandamentos do Marketing para Autores e Editoras

Comments 1

  1. Sábios conselhos.

    Mas o oitavo me fez ir ao original. Diz aqui na página: "Evita a falsa humildade. Não tenha medo de dizer às pessoas sobre o seu livro, quando você sabe que pode ajudá-los;". "-los"? Pensei: "quando você pode ajudar os livros"? Mas há referência a um só: "dizer às pessoas sobre o seu livro", está aí. Então deve ser: "quando você sabe que pode ajudá-lo", isto é, ajudar o livro, pois livros recém lançados são crianças que realmente precisam de ajuda. Mas fiquei em dúvida… Talvez fosse: "quando você sabe que pode ajudá-las", isto é, quando você sabe que pode ajudar as pessoas. Hum, prossegui, escritor que quer ajudar ao leitor há de ser autor de auto-ajuda. E aí fui ao original: "Avoid false humility. Don’t be afraid to tell people about your book when you know it can help them". Ah, tem um pronome "it" antes do verbo, logo, o correto seria: "Não tenha medo de falar às pessoas sobre o seu livro, quando você sabe que ele, o livro, pode ajudá-las". (Então era "-las" em vez de "-los".) Finalmente entendi. E ficou melhor assim, pois um bom livro sempre supera o próprio escritor, muitas vezes ajudando-o a expandir seu campo da experiência tanto quanto o faz ao dos leitores. (Escritor de auto-ajuda é aquele que não apenas crê poder ajudar os leitores, mas também faz um livro inferior a si próprio, que só o ajuda financeiramente.)

    Puts, fui chato pra caralho nesse comentário, hem. Mas é que bateu mesmo a dúvida… :-/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *