apple-logo

“A Amazon é a Vilã”, Diz a Apple

da Redação Notícias 1 Comment

Enquanto três das cinco editoras processadas pelo governo norte-americano já fecharam acordos quanto ao caso do preço fixo, Penguin e Macmillan preparam sua defesa para o tribunal. E a Apple tenta de todas as maneiras provar que tudo não passa de um engano.

A bola da vez é um relatório de 31 páginas a respeito dos procedimentos utilizados pelo Departamento de Justiça dos EUA. O relatório da Apple é sobre o que podemos esperar da corporação – insiste que a Amazon é a monopolista, que a Apple negociou os acordos com as editoras separada e individualmente, e que, além disso, os preços de agência não prejudicaram os consumidores.

O modelo de agência também não teria nada a ver com a Amazon: “A Apple não estava a par das motivações da Amazon quando adotou o modelo de agência, mas permitiu a entrada e a introdução de uma nova concorrência. Foi tudo o que a Apple fez, e isso não pode ser uma violação das leis antitruste.”

Não creio que adiante em muita coisa ficar enviando relatórios e apresentações à corte. Não há provas irrefutáveis de que a Apple realmente armou todo o esquema, mas também não há nada que prove que ela esteja fora disso, e que seja inocente.

Com informações do TeleRead.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Sobre o autor

da Redação

Para entrar em contato com a redação do Revolução eBook, escreva para sac@simplissimo.com.br

Simplíssimo“A Amazon é a Vilã”, Diz a Apple

Comments 1

  1. Esse papo de monopólio e truste… ai ai. Na verdade, ele oculta apenas o intervencionismo estatal em setores onde o livre mercado e a livre concorrência naturalmente resolveriam a questão. Para entender o problema, há um excelente artigo no Instituto Mises: A nova lei antitruste brasileira: uma agressão à livre concorrência. A verdade é que nenhum consumidor se vê prejudicado por menores preços… Alguém reclamou da Amazon? Apenas as demais empresas. E, como afirma o autor do artigo supracitado:

    “O que motivou a criação da lei antitruste americana — e o que sustenta todas as leis antitruste até os dias atuais — foi o protecionismo e o intervencionismo. É interessante para o governo ter, como moeda de troca, a possibilidade de fustigar empresas que estejam incomodando os amigos do rei. E muitas empresas também gostam de saber que podem contar com a ajuda do governo na hora de atacar concorrentes mais eficientes.”

    {}’s

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Currently you have JavaScript disabled. In order to post comments, please make sure JavaScript and Cookies are enabled, and reload the page. Click here for instructions on how to enable JavaScript in your browser.