Apple Bate de Frente Com Amazon, Smashwords e Outras

da Redação Ebooks, Notícias 4 Comments

E são mais as novidades que aconteceram hoje no evento da Apple, ocorrido no museu Guggenheim em Nova Iorque. Nada espetacular para os amantes de tecnologia, como novos iPads ou iPhones, e sim muitas ferramentas e serviços que mostram que a Apple vai entrar com tudo no mercado de livros digitais. Já falamos aqui do iBooks 2 e dos novos didáticos, vamos ver mais.

Ficando para trás na corrida que disputa os autores independentes, a Apple chegou com tudo. No evento de hoje, anunciou um novo software, gratuito, que permitirá a edição de livros digitais para serem publicados na loja da Apple. Isso a coloca em rota de colisão com muitas empresas que já atuam no ramo, como Amazon, Barnes & Noble e Smashwords, para citar apenas as grandes.

O novo aplicativo, de nome “iBooks Author”, permite que autores e os interessados ​​em publicar seus próprios livros interativos criem e enviem seus trabalhos para a iBookstore. O app permite criar “livros impressionante de culinária, história, imagens e muito mais para iPad”, com uma ferramenta que permite ao usuário criar um livro a partir de um dos modelos da Apple ou começar com uma folha em branco.

O iBooks Author é editor WYSIWG (o que você vê é o que você obtém), dando ao usuário a opção de adicionar seu próprio texto e imagens com “facilidade de arrastar e soltar”. Diferentes ferramentas podem incorporar galerias de fotos interativas, filmes, apresentações Keynote, objetos em 3D e até mesmo o conteúdo HTML5. Obviamente, não trará a qualidade de um livro digital finamente trabalhado no código, mas já é uma boa alternativa para quem quer aprender como fazer um livro.

Ele suporta a importação de conteúdo do Word, acrescentando palavras ao glossário com um único clique. Também há widgets que adicionam interatividade nos livros, fornecendo conteúdo rico ou títulos e legendas, que são automaticamente numeradas para que possam ser referenciadas no corpo do texto. Uma vez terminado, o livro pode ser visualizado para ver como seria visto em um iPad, permitindo aos usuários adicionar uma capa, vídeo de introdução, dedicação ou prefácio. Se estiver pronto, o livro pode ser submetido ao iBookstore com apenas alguns cliques. ibooks-author2

Fizemos o download para um teste inicial rápido. Ele exporta o conteúdo para PDF, TXT e o formato iBooks. Não há qualquer menção a ePub, Mobi ou F8 da Amazon. Há também a possibilidade de publicação direta na loja. Outros conhecimentos de edição incluem HTML e Javascript.

O software parece fácil de usar, ainda mais para quem já está acostumado à suíte iWork da Apple. Os templates já disponíveis dão a ideia de livros educacionais, mas podem facilmente se transformar em outros tipos de livro.

O aplicativo já pode ser baixado na loja da Apple, é gratuito e é compatível apenas com o sistema operacional Lion.

Com informações do Engadget e TNW.

Para publicar seu livro em ebook ou impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Nossos números são difíceis de bater: desde 2010, a Simplíssimo comercializou mais de 1 milhão de exemplares e publicou mais de 1.000 ebooks e livros impressos. Veja como funciona a publicação para seu livro, aqui.

 

SimplíssimoApple Bate de Frente Com Amazon, Smashwords e Outras

Comments 4

  1. “Obviamente, não trará a qualidade de um livro digital finamente trabalhado no código, mas já é uma boa alternativa para quem quer aprender como fazer um livro.”? Como assim, poderia elucidar esse ponto?

    1. JG, nenhum programa consegue deixar um livro digital perfeito como quando ele é trabalhado no código. É a mesma coisa com sites. Você pode fazer um site no Dreamweaver, mas nunca poderá deixá-lo tão bem feito como se tivesse feito ele no código. Além disso, trabalhar no código permite muito, muito mais possibilidades. Você não fica preso às especificações do programa, está livre para fazer tudo o que o código permite.

      1. Mas no caso do html, havia a questão da eficiência do código em termos de peso, SEO, manutenção por terceiros…

        No caso do livro da Apple, será que cabe pensar num cenário alternativo, aidna “mais bem feito”, frente ao espetacular resultado final já oferecido?

        Tem hora que ePUB me lembra um pouco o antigo e falecido Ventura… Ter que obrigar o diagramador a colocar a mão “em coisas chatas” simplesmente não se justificará mais quando outras soluções como essa vieream a reboque. E virão.

        O que tem por aí é web designer que trabalha em cima de templates de WP/psd’s e quando muito usam um Firebug p/ edções pontuais no código. Talvez apenas 5% dos designers sabem PHP/CSS de fato. Mesmo assim, não reinventam a roda o tempo todo.

        Enfim, nada era mais complicado do que editorar material acadêmico, com tabelas, gráficos, formulas… Se a Apple vingar nesse seu projeto, um mundo novo se abrirá. E soluções p/ ePub surgirão ainda mais rápido. Como diagramador, é o que espero. E torço.

        Interessante esse momento, sem dúvida.
        Obrigado pelo follow-up!

      2. Nenhum software nunca conseguirá superar o potencial do código. Eu não lido bem com código, mas reconheço a importância. Os aplicativos sujam o código, e o mesmo que vale para sites, vale também para os eBooks. Quando falamos de SEO, temos os metadados em eBooks. Sem eles é impossível encontrar um livro em um catálogo ou livraria. Quando falamos de peso, as boas normas de um livro digital prezam para que um livro tenha menos do que 12MB.

        E quanto mais um eBook for bem feito, menos trabalho isso gera para uma editora, para um autor, por exemplo, atualizar o livro.

        Mas de forma alguma eu tiro o valor de softwares como esse. Nem todo mundo domina código, e nem todo mundo pode pagar alguém que domine. Uma solução como essa abre espaço para que muito mais pessoas possam divulgar seus livros e publicar seus trabalhos. É um dos métodos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *