“Black Box”, um conto em tweets

Nina Sarti Autores, Ebooks, Notícias Deixe um comentário

Juntar literatura e redes sociais já não é tão novidade assim. Em 2010, a Academia Brasileira de Letras lançou um concurso de microcontos pelo Twitter. No mês passado, o Cláudio Soares, da Obliq Press, começou a publicar Titanicware, definido por ele como “uma cibernarrativa baseada em mídia digital e social construída fisicamente pelo leitor”. Agora, uma talentosa autora americana se junta aos adeptos da literatura em mídias sociais: Jennifer Egan, vencedora do Pulitzer de ficção em 2011, resolveu publicar um conto na forma de uma série de tweets. E mais: o conto está sendo twittado não pela autora, e sim pela renomadíssima revista literária The New Yorker.

A ideia é simples: desde quinta-feira, a New Yorker twitta o novo conto da autora, intitulado “Black Box”, em doses diárias de uma hora. A publicação toda levará dez dias. A história será publicada de forma tradicional também, na edição de ficção científica da revista, que sai na próxima segunda-feira. Já o processo de produção do conto foi mais complicado: no blog da New Yorker, Egan conta que seu texto tinha, originalmente, o dobro do tamanho atual, e que demorou cerca de um ano para adequá-lo ao Twitter. A autora completa dizendo que sua ideia não é nova, mas é muito rica, “por causa da intimidade de chegar às pessoas através de seus telefones, e por causa da poesia estranha que pode acontecer em cento e quarenta caracteres”.

É claro que adequar todo um conto a pedacinhos de 140 caracteres não é nada fácil, principalmente porque cada frase deve ter um sentido dentro deste limite (nada de colocar reticências e continuar em outro tweet). Mas, no total, o conto é muito menos condensado do que um microconto propriamente dito – só na primeira parte, foram 60 tweets, agrupados posteriormente aqui. A repercussão parece ter sido boa: uma leitora comentou que a experiência foi ótima, pois ler os tweets aleatoriamente em sua timeline fez com que ela apreciasse cada linha sozinha, enquanto lê-los juntos lhe trouxe a ideia da história. Por outro lado, um texto do The Guardian traz algumas ressalvas, dizendo que as grandes vantagens do Twitter – sua rapidez e facilidade de manter um diálogo – não estão sendo aproveitadas por este formato:

“A ficção longa, apresentada pelo Twitter, não é nem imediata (no caso da história de Egan, ela está sendo publicada num período de 10 dias, com intervalos de 23 horas) nem parte de uma conversa. Posso ver como o Twitter é perfeito para a genuína ‘flash fiction’, na qual a forma (rajadas de 140 caracteres) se liga totalmente à função (epigramatismo), mas o problema com uma história mais longa é que o meio não é integrado ao trabalho em si, e acaba como nada mais do que um método de entrega peculiar/desengonçado”.

Particularmente, concordo que não explorar a grande vantagem das redes sociais, o diálogo, é um ponto contra Egan. Mas ela escreve tão bem que ler cada tweet é um prazer, e dá vontade de compartilhar todos – talvez, num trabalho autoral de ficção, este nível de interatividade seja suficiente. Para quem quiser decidir por si mesmo, basta acompanhar os tweets da @NYerFiction entre as 21h e as 22h.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Sobre o autor

Nina Sarti

Nina Sarti é aspirante a jornalista e apaixonada por literatura – no papel desde sempre, e na tela desde o seu primeiro e-reader, que leva por aí para mostrar às pessoas que e-book não é nenhum bicho de sete cabeças.

Simplíssimo“Black Box”, um conto em tweets

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Currently you have JavaScript disabled. In order to post comments, please make sure JavaScript and Cookies are enabled, and reload the page. Click here for instructions on how to enable JavaScript in your browser.