Coisas de 2012 que não deram certo: eReaders com telas flexíveis

03/01/2013
 / 
por Eduardo Melo
 / 

No início de 2012, a LG estreou um novo tipo de tecnologia de papel eletrônico flexível que foi definido como o início de uma nova geração de eReaders. Isso nunca aconteceu, apesar da LG ter começado a produzir em massa as telas – que nunca foram compradas por outras empresas. O único produto comercialmente viável apresentado foi o Flex Wexler One, mas ele só está disponível na Rússia e Shop e-Readers. As telas flexíveis tinham um enorme potencial, por que o produto não decolou?

Amazon, Barnes and Noble, Kobo, todos usam a tecnologia da e-Ink Holdings, empresa que domina o segmento de telas para eReaders. Com a indústria preferindo para telas iluminadas e o E-Ink Triton 2, a tela da LG ficou sem compradores.

Outro motivo que barrou o avanço da alternativa da LG, no mercado, foi a sinergia entre a e-Ink e a empresa Freescale. As duas empresas trabalham em conjunto com os seus maiores fornecedores, para garantir que todos recebam o melhor desempenho de seu eReaders. Por conta disso, aparelhos mais econômicos, que usam peças da Texas Instruments, Marvell, ou outras, não conseguem conquistar clientes.

Fonte: Good E-Reader

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

03/01/2013
 / 
por Eduardo Melo
 / 

No início de 2012, a LG estreou um novo tipo de tecnologia de papel eletrônico flexível que foi definido como o início de uma nova geração de eReaders. Isso nunca aconteceu, apesar da LG ter começado a produzir em massa as telas – que nunca foram compradas por outras empresas. O único produto comercialmente viável apresentado foi o Flex Wexler One, mas ele só está disponível na Rússia e Shop e-Readers. As telas flexíveis tinham um enorme potencial, por que o produto não decolou?

Amazon, Barnes and Noble, Kobo, todos usam a tecnologia da e-Ink Holdings, empresa que domina o segmento de telas para eReaders. Com a indústria preferindo para telas iluminadas e o E-Ink Triton 2, a tela da LG ficou sem compradores.

Outro motivo que barrou o avanço da alternativa da LG, no mercado, foi a sinergia entre a e-Ink e a empresa Freescale. As duas empresas trabalham em conjunto com os seus maiores fornecedores, para garantir que todos recebam o melhor desempenho de seu eReaders. Por conta disso, aparelhos mais econômicos, que usam peças da Texas Instruments, Marvell, ou outras, não conseguem conquistar clientes.

Fonte: Good E-Reader

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Deixe um comentário