Cosac Naify “ensina” editoras como planejar design para ebooks

Eduardo Melo (Simplíssimo) Ebooks, Mercado, Notícias Deixe um comentário

Na última sexta-feira (26/04) o blog da editora Cosac Naif postou uma legítima “aula” de como pensar e planejar uma coleção digital. A editora publicou algumas considerações sobre a estética, o design e as limitações técnicas do livro digital em formato ePub, explicando as soluções adotadas e o resultado obtido – incluindo fotos. Leitura obrigatória, portanto, para quem publica ebooks e tem uma preocupação com a qualidade. Diga-se de passagem, a equipe da Cosac conta com o Antonio Hermida, ex-Simplíssimo.

Os problemas encontrados pela Cosac foram os seguintes:

  1. Fazer os ebooks funcionarem no maior número de aparelhos e telas, sem perder características que compõem a identidade visual;
  2. Fontes serifadas, usadas no impresso, não ficaram boas no ebook;
  3. Alinhamento de texto justificado cria “caminhos de rato” em telas pequenas;
  4. Chamadas de notas ao longo do texto;
  5. Aumento do entrelinhas por conta do sobrescrito das chamadas de notas;
  6. Logomarca da editora ficava na lombada da capa;
  7. Localização dos índices remissivos;
  8. Sumário dentro do ebook é redundante (os aparelhos já oferecem um);

E as soluções adotadas (veja com mais detalhes no Blog da Cosac Naify)

  1. Por enquanto, os ebooks estão à venda apenas na Saraiva e Livraria Cultura;
  2. As fontes originais foram trocadas por outra parecida, mais adequada a ebooks;
  3. Alinhar o texto à esquerda, deixando a opção de justificar ao usuário;
  4. Incluir chaves – {_} – para aumentar a superfície de toque para as notas;
  5. Reduzir o alinhamento vertical das chamadas de notas;
  6. Adaptar o texto da capa;
  7. No índice remissivo, foi mantida a numeração das páginas na versão impressa;
  8. A editora eliminou o sumário interno e decidiu usar apenas o sumário de navegação dos aparelhos;

Sobre a última solução, parece indicar que a editora não irá vender seus ebooks na Amazon tão cedo – pelo menos, não os da coleção Prosa do Mundo. Isto porque, dentre as várias exigências da Amazon para os ebooks do Kindle, uma delas é justamente a presença de um sumário “interno”, em meio ao conteúdo do livro.

A definição de um design que funcione bem em vários aparelhos, não passa apenas por escolhas técnicas, passa também por decisões comerciais (como vender ou não na Amazon, no caso). E quanto mais livrarias, maior a probabilidade de ser preciso adaptar o design do ebook, para atender diferentes exigências em uma ou outra. Geralmente, quem ganha a queda de braço é o setor comercial… e o design sofre.

SimplíssimoCosac Naify “ensina” editoras como planejar design para ebooks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *