Dicas de formatação para eBooks: o uso do versalete

Fernando Dicas, Ebooks, Notícias Deixe um comentário

Quero partilhar algumas ideias e sugestões sobre o uso do versalete nos eBooks. Quem trabalha com a produção com certeza já encontrou dificuldades relacionadas a este tema, causadas em geral pelas diferenças entre os softwares leitores do formato ePub. Alguns softwares, em particular aqueles ligado ao motor de rendering da Adobe não suportam o versalete que aplicamos no Indesign. Para resolver a situação é preciso as vezes muita criatividade e muito trabalho a mais! Mas vamos por partes.

O versalete no Indesign

O uso de texto com o versalete é muito útil para dar ênfase em frases ou expressões em alternativa ao itálico e ao bold. É usado também no inicio do capitulo para chamar a atenção ao primeiro parágrafo, ou como elemento de estilo. Em dicionários ou livros técnico o seu uso torna-se determinate para diferenciar os lemas e palavras que precisam ser tipograficamente diferentes.

Nos softwares de produção modernos como o Indesign criar um texto em versal é muito simples. Basta selecionar o texto desejado e clicar no painel de controle no ícone especifico.
versalete

Exportar a formatação do versalete do Indesign para o ePub também é, em teoria, simples. Basta criar um estilo de caractere específico para o texto em versal e aplicar ele nas palavras que usam este recurso (assim como se faz com o bold e o itálico). O Indesign consegue exportar a informação  para ePub acrescentando a regra CSS específica para isto, ou seja o font-variant: small-caps.

versalete2

As frustrações iniciam quando abrimos o ePub no software Adobe Digital Edition, ou em outros software que usa a mesma tecnologia Adobe ( por exemplo: Saraiva Reader, BlueFire Reader, Mantano Reader, Aldiko, etc…).

O versalete simplesmente desaparece!

Isto acontece porque estes softwares não suportam corretamente a regra de CSS para o versal. Como resolver isto?

O falso versal (span + classe)

Em um mundo ideal poderíamos reclamar com os desenvolvedores da Adobe e eles iriam consertar isto para nós. No nosso mundo real temos que enviar o arquivo ao cliente e é muito dificil que ele entenda que a culpa é da Adobe!

Pra resolver esta situação nasce o “falso versalete“, um pequeno truque que cria a ilusão de versalete mesmo em sistemas que não suportam esta caracteristica.

Para fazer isto no Idesign escrevemos ou transformamos o texto em caixa alta e depois aplicamos uma redução no tamanho do texto, onde for necessário.

O resultado como podemos ver no exemplo é aparentemente aceitável. O código gerado, porém, é péssimo e em alguns casos quase incompreensível. O Indesign exporta o estilo de caracter com um tag associado a uma classe e no arquivo CSS declara um tamanho menor para a fonte.

comparacao

Este método parte do pressuposto que o versalete é nada mais do que um texto em caixa alta reduzido, o que tipograficamente não é verdade. Sobre este tema indico aqui um artigo interessante.

O falso versal com o tag small

Para quem trabalha diretamente com o código é possivel criar o falso versal usando diretamente o tag small. Isto reduz a complicação do código e não é necessária uma regra específica no CSS. Porém se você está pensando em produzir um ePub3 ou quer deixar seu código limpo e aberto a novas conversões e transformações no futuro, leve em consideração que segundo as normartivas do HTML5 o tag small é destinado à outra coisa.

O HTML5 leva muito em consideração a semântica (o significado) do código e não a simples visualização final tipográfica. No caso do tag small ele passou a ser destinado a texto paralelos, a detalhes como comentários ou texto complementares, enfim a texto com letrinhas miúdas mas que possuem uma sua função específica na publicação, como a nota de copyright de uma foto, por exemplo. Portanto, se puder evitar o uso deste tag para o versal é melhor. Para uma introdução ao HTML5 e ao uso semântico dos tags recomento este livro “Html5, embarque imediato“.

Outras soluções

Uma solução que pessoalmente aprecio muito, apesar de mais complexa, é o uso de uma fonte que possua uma variação em versalete. Esta solução é muito mais bonita e elegante por respeitar a tipografia da fonte em uso.

No arquivo de exemplo que você pode baixar aqui, uso a fonte Alegreya que além de possuir uma variação específica para o versalete, faz uso da licença SIL Open Font permitindo assim usá-la nos eBooks respeitando o copyright. O site www.fontsquirel.com possui muitas fontes de ótima qualidade e com lincença de uso Open Source ou que permitem o uso da fonte embutida em publicações digitais.

Caso você queira usar uma fonte específica para o versal será necessário fazer a declaração no CSS e aplicar a fonte na classe usada no XHTML.  Se preferir é possível preparar o texto no Indesign estando atento a selecionar a fonte versal para o estilo de caractere que estamos usando.
versalete3

No CSS:

@font-face {
  font-family: AlegreyaSC;
  font-weight: normal;
  font-style: normal;
  src: url("../Fonts/AlegreyaSC-Regular.otf");
}
.fontSmallCaps {
   font-family: AlegreyaSC, sans-serif;
   font-variant: small-caps;
}

No Html:

<p class="fontSmallCaps">Uso do versalete com fonte específica + regra CSS</p>

 

A presença da regra CSS font-variant: small-caps tenta prevenir o caso no qual o sotware leitor não reconheça a fonte mas reconheça o CSS.

Este arquivo ePub de testes traz exemplos sobre a aplicação do versal e pode facilitar a vida de quem está iniciando a produzir eBooks e quer encontrar soluções agradáveis, práticas e eficazes para uma tipografia nos livros digitais. Abrindo ele nos vários softwares você vai poder ver  qual suporte ele possui para o versalete.

Sobre a importância do uso correto das fontes nas publicações digitais teremos uma palestra específica na Conferência Revolução eBook, onde um especialista em fontes irá dar mais indicações concretas de como utilizar os elementos tipograficos nas publicações digitais.

Para publicar seu livro em ebook ou impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Nossos números são difíceis de bater: desde 2010, a Simplíssimo comercializou mais de 1 milhão de exemplares e publicou mais de 1.000 ebooks e livros impressos. Veja como funciona a publicação para seu livro, aqui.

 

SimplíssimoDicas de formatação para eBooks: o uso do versalete

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *