eBook, Até Quando Uma Exceção?

06/10/2011
 / 
por Maurem Kayna
 / 

Em julho passado, postei no blog Pedaços de Possibilidade a saga sobre a inscrição do eBook de mesmo nome no Prêmio Açorianos de Literatura 2011. Como a aceitação pelo formato não foi propriamente tranqüila, ele não foi inscrito na modalidade que seria, talvez, a mais lógica – contos – mas sim na categoria especial (que aliás, teve o maior número de inscritos dentre as dez categorias: 41 livros).

O Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil está na 18ª edição e, em relação a 2010, houve crescimento no número de inscrições. São 221 livros distribuídos em oito categorias literárias (Conto, Crônica, Ensaio, Especial, Infantil, Infanto-juvenil, Narrativa longa e Poesia), e duas não-literárias (Capa e Projeto gráfico), além dos destaques literários (Escolhas entre editoras e livrarias; Mídia impressa, rádio e TV; Projetos de incentivo, promoção e divulgação de literatura e Mídia digital) e do prêmio de Criação Literária, que este ano foca narrativa longa.

A expectativa ao fazer a inscrição não era brigar pelo prêmio, mas provocar os jurados à leitura de um eBook, pois é bastante provável que parte deles não tenha ainda incorporado essa alternativa aos seus hábitos cotidianos (quiçá eu fosse categoricamente contrariada!).

O segundo desafio (o primeiro foi ter a inscrição aceita) foi encontrar um formato razoável para que houvesse ao menos o risco do material ser realmente lido. Com a impossibilidade financeira (tanto minha como da editora) de oferecer sete eReaders com a obra pronta para ser lida, somada à mania brasileira de deixar a execução para um período muito próximo do prazo final, foi necessário apelar para uma solução meio “gambiarra”. O eBook foi apresentado em DVD’s com três alternativas de leitura (PDF, Mobi e ePub) contendo no “encarte” as orientações para o acesso de cada formato, conforme o nível de intimidade do leitor com a tecnologia.

O resultado o Prêmio será conhecido em dezembro, mas minha maior curiosidade não se volta para essa data, mas para o próximo edital do Prêmio Açorianos – haverá claramente a abertura para a inscrição de eBooks? Ou mais, haverá uma categoria específica para este formato de livros?

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

06/10/2011
 / 
por Maurem Kayna
 / 

Em julho passado, postei no blog Pedaços de Possibilidade a saga sobre a inscrição do eBook de mesmo nome no Prêmio Açorianos de Literatura 2011. Como a aceitação pelo formato não foi propriamente tranqüila, ele não foi inscrito na modalidade que seria, talvez, a mais lógica – contos – mas sim na categoria especial (que aliás, teve o maior número de inscritos dentre as dez categorias: 41 livros).

O Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil está na 18ª edição e, em relação a 2010, houve crescimento no número de inscrições. São 221 livros distribuídos em oito categorias literárias (Conto, Crônica, Ensaio, Especial, Infantil, Infanto-juvenil, Narrativa longa e Poesia), e duas não-literárias (Capa e Projeto gráfico), além dos destaques literários (Escolhas entre editoras e livrarias; Mídia impressa, rádio e TV; Projetos de incentivo, promoção e divulgação de literatura e Mídia digital) e do prêmio de Criação Literária, que este ano foca narrativa longa.

A expectativa ao fazer a inscrição não era brigar pelo prêmio, mas provocar os jurados à leitura de um eBook, pois é bastante provável que parte deles não tenha ainda incorporado essa alternativa aos seus hábitos cotidianos (quiçá eu fosse categoricamente contrariada!).

O segundo desafio (o primeiro foi ter a inscrição aceita) foi encontrar um formato razoável para que houvesse ao menos o risco do material ser realmente lido. Com a impossibilidade financeira (tanto minha como da editora) de oferecer sete eReaders com a obra pronta para ser lida, somada à mania brasileira de deixar a execução para um período muito próximo do prazo final, foi necessário apelar para uma solução meio “gambiarra”. O eBook foi apresentado em DVD’s com três alternativas de leitura (PDF, Mobi e ePub) contendo no “encarte” as orientações para o acesso de cada formato, conforme o nível de intimidade do leitor com a tecnologia.

O resultado o Prêmio será conhecido em dezembro, mas minha maior curiosidade não se volta para essa data, mas para o próximo edital do Prêmio Açorianos – haverá claramente a abertura para a inscrição de eBooks? Ou mais, haverá uma categoria específica para este formato de livros?

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Esta página ainda não tem comentários. Quer comentar primeiro?

Deixe um comentário