Ebooks continuam caros

Eduardo MeloAtualizado em: Ebooks, Mercado, Notícias 4 Comments

Na linha do que já fizemos várias vezes aqui no Revolução eBook, a Folha de SP fez uma comparação de preços dos ebooks no Brasil. Constatou o que os leitores do Revolução já sabem, faz tempo.

Levantamento feito pela Folha com 12 títulos de oito editoras, em destaque na página inicial de quatro lojas –Amazon, Google Play, Livraria Cultura e Saraiva–, mostra que os preços dos e-books variam entre 60% e 85% dos preços dos livros físicos.

Para quem lê em inglês, ainda é mais barato comprar livros publicados no idioma de Shakespeare na Amazon americana. Os valores são menores mesmo levando em conta o câmbio e a adição de 6% sobre o valor final da compra, por causa do IOF (imposto sobre operações financeiras) cobrado pela operadora de cartão de crédito.

O e-book mais vendido no Brasil na semana passada é um exemplo de título que, em inglês, sai por um preço menor. “Cinquenta Tons de Liberdade” custa, na Amazon brasileira, R$ 22,41. No site americano, o livro na versão eletrônica sai por US$ 8,55. Com adição de impostos e câmbio, o custo é de R$ 18,85.

A diferença de preço em relação aos impressos, frequentemente, é muito pouca – e comprar um livro em inglês (para quem lê nesta língua) sai mais em conta que a versão em português. Ainda assim, há sinais de esperança. As grandes livrarias estão competindo entre si, fazendo promoções e baixando preços, ainda que timidamente, sem grande agressividade. Tudo indica que é um processo robótico, baseado em comparações e ajustes automáticos de preços:

(…) um sobe e desce no preço de “Cinquenta Tons de Cinza” no decorrer da tarde mostra como a concorrência entre as lojas tende a ser acirrada. Com preço sugerido de R$ 24,90, pela editora Intrínseca, o e-book chegou a custar R$ 21,90 na Saraiva, no Google Play e na Amazon –e terminou o dia a R$ 22,41 em todas as lojas.

Fonte: Folha de S.Paulo

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Sobre o autor

Eduardo Melo

Eduardo Melo é fundador da Simplíssimo e seu diretor-executivo desde 2010. É licenciado em História e Mestre em Teoria da Literatura.

SimplíssimoEbooks continuam caros

Comments 4

  1. Não vejo lógica na comparação entre o preço de um livro em inglês e sua tradução. O preço da edição traduzida sempre vai ser mais caro, e o preço na Amazon reflete isso. Existe um trabalho a mais em cima do livro.

    O cinquenta tons de liberdade custa 10,49 dólares na Amazon americana e 22,41. na Amazon brasileira. O dólar com IOF alto e spread bancário e o caramba faz com que valha mais a pena comprar em real, não há dúvida. Por conta disso que resolvi migrar minha conta, e por que há mais livros pra brasileiros na Amazon nacional.

  2. Esse mercado é irracional. Um exemplo:

    Livro : Os Donos do Poder: Formação do Patronato Político Brasileiro – Raymundo Faoro

    Livro Físico – Livraria Cultura: R$ 75,00 (no site – vi a R$ 52,00 na Cultura Iguatemi/Brasília)
    E-book – Livraria Cultura: R$ 52,90 (R$ 50,90 + cultura)
    E-book – Amazon Brasil: R$ 52,90
    E-book – Amazon Internacional: U$ 14,85 (preço em 07/DEZ – comprei o livro imediatamente) – U$ 24,77 (preço de hoje – acabou a sopa!?)

    Penso que o melhor é pesquisar as diversas opções.

    Outras constatações que fiz ao longo do tempo:

    (i) Para aqueles que leem em inglês, NÃO HÁ VANTAGEM alguma em preferir o Kobo (ou qualquer outro leitor digital vendido no Brasil) ao Kindle. O leitor da amazon é superior e possui versões de diversos preços. Sua chegada iminente ao Brasil irá facilitar ainda mais as coisas.

    (ii) Não vale a pena comprar traduções em português de obras publicadas em inglês, seja pela perda imposta pela tradução, seja pelo preço do livro em inglês (refiro-me aos e-books).

    1. Muito bom teu comentário, e ele me fez perceber que a Amazon pode ter aumentado o preço em dólar de livros brasileiros no site americano pra equiparar com o preço em real, ao menos neste caso. Mas claro, promoções existem toda hora no site.

      Quanto a preferência pelo Kindle, pra quem lê só em português também não há por que não comprar o kindle, desde que a pessoa saiba instalar o Calibre e baixar os plugins que existem na web pra remover DRM e ler os livros onde quiser. O Kobo é o terceiro melhor leitor de e-books, e pelo que sei não tem a mesma qualidade em termos de hardware que o Kindle. Além disso, o Kobo Touch não é o último modelo, que possui luz frontal (como o Kindle Paperwhite).

  3. Ola,

    Achei muito positivo o preço de alguns livro serem mais baixos na Amazon do Brasil aberta semana passada do que o mesmo livro na Amazon americana.
    Livros por exemplo da autora Iarci Alme que podem ser encontrados por quase a metade do preço na Amazon brasileira.(R$ 5,99) enquanto que na Amazon americana por (R$ 10.49). Os dois livros saem mais barato no Brasil, ‘Gisveu, um amigo eu’ e ‘Pressa, memorias de alguem’.

    Abraços,
    Helena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Currently you have JavaScript disabled. In order to post comments, please make sure JavaScript and Cookies are enabled, and reload the page. Click here for instructions on how to enable JavaScript in your browser.