eBooks Duplicam no Brasil, Mas Ainda São Complicados de se Ler

03/05/2012
 / 
por da Redação
 / 

Uma matéria sucinta e explicativa no Jornal Zero Hora fala sobre os eBooks no Brasil e como as editoras vêm reagindo a eles. De acordo com Ednei Procópio, até o término de abril a base de dados de registros de livros digitais contava com 10 mil exemplares, o dobro em relação ao ano anterior. “Embora seja pouco, o número é simbólico. As digitalizações estão ganhando velocidade.” afirma Ednei.

Editoras ainda reclamam de que as vendas são muito baixas. O título de conhecido sucesso digital, a biografia de Steve Jobs, representa 3% do total de livros vendidos. A Companhia das Letras tem pouco mais de 200 livros digitais de um catálogo de mais de 5,4 mil títulos, e quer chegar ao final do ano com cerca de 800. A L&PM Editores foi outra que investiu no eBook, mas vê apenas 0,5% das vendas com eBooks.

O grande problema, de acordo com os editores, é a dificuldade em entender como ler um eBook, além da variedade enorme de dispositivos disponíveis. “Como são muitos dispositivos que leem nossos eBooks, tivemos que elaborar um documento de quatro laudas explicando como se faz para ler um livro digital. O processo é muito complicado” diz Ivan Pinheiro Machado, sócio da L&PM.

“Nossa expectativa é que o lançamento da iBookStore (a loja de livros digitais da Apple) no Brasil facilite as coisas. Como a base de iPads é gigante, é provável que o número de venda de eBooks aumente” completa.

Confira abaixo um infográfico montado pelo jornal, apresentando as alternativas para cada tipo de gadget:

Infográfico eBooks Jornal Zero Hora

Clique na imagem para ampliar

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

03/05/2012
 / 
por da Redação
 / 

Uma matéria sucinta e explicativa no Jornal Zero Hora fala sobre os eBooks no Brasil e como as editoras vêm reagindo a eles. De acordo com Ednei Procópio, até o término de abril a base de dados de registros de livros digitais contava com 10 mil exemplares, o dobro em relação ao ano anterior. “Embora seja pouco, o número é simbólico. As digitalizações estão ganhando velocidade.” afirma Ednei.

Editoras ainda reclamam de que as vendas são muito baixas. O título de conhecido sucesso digital, a biografia de Steve Jobs, representa 3% do total de livros vendidos. A Companhia das Letras tem pouco mais de 200 livros digitais de um catálogo de mais de 5,4 mil títulos, e quer chegar ao final do ano com cerca de 800. A L&PM Editores foi outra que investiu no eBook, mas vê apenas 0,5% das vendas com eBooks.

O grande problema, de acordo com os editores, é a dificuldade em entender como ler um eBook, além da variedade enorme de dispositivos disponíveis. “Como são muitos dispositivos que leem nossos eBooks, tivemos que elaborar um documento de quatro laudas explicando como se faz para ler um livro digital. O processo é muito complicado” diz Ivan Pinheiro Machado, sócio da L&PM.

“Nossa expectativa é que o lançamento da iBookStore (a loja de livros digitais da Apple) no Brasil facilite as coisas. Como a base de iPads é gigante, é provável que o número de venda de eBooks aumente” completa.

Confira abaixo um infográfico montado pelo jornal, apresentando as alternativas para cada tipo de gadget:

Infográfico eBooks Jornal Zero Hora

Clique na imagem para ampliar

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Esta página ainda não tem comentários. Quer comentar primeiro?

Deixe um comentário