É, só dá eles: Kobo anuncia três novos eReaders, horas antes da Amazon

Eduardo Melo (Simplíssimo) Notícias 5 Comments

Ontem comentamos sobre a estratégia da Kobo de entrar no mercado brasileiro vendendo seus eReaders com preços agressivos, ressalvando que a linha atual de aparelhos já estava ficando um pouco defasada. Pura coincidência, o site Engadget reportou hoje cedo que a Kobo anunciou três novos eReaders, apenas algumas horas antes do aguardado anúncio da Amazon. Competição séria é isso, o resto é conversa.

Os três aparelhos novos, pelas especificações, atendem certas necessidades e colocam a Kobo em pé de igualdade com a concorrência.

O primeiro deles, o Glo ComfortLight, segue a linha Glow inaugurada pela Barnes&Noble: é um eReader com tela e-ink e iluminação de qualidade para leitura noturna. Este tem medidas de 15.7 x 11.4 cm, WiFi, 2GB de memória, slot para cartão SD até 32GB, resolução de 1024×768 e 16 tons de cinza. Estará disponível a partir de outubro, pelo preço de US$129.99.

O segundo aparelho é o novo tablet da Kobo substitui o Vox, que nunca chegou a decolar de verdade. Batizado de “Arc”, ele poderá acessar a loja de apps Google Play, terá tela de 7 polegas e a versão Ice Cream Sandwich do Android.

Por fim, o terceiro aparelho é um eReader em formato pocket, batizado de Kobo Mini. Não chega a ser uma “novidade”, outras empresas já lançaram eReaders nesta linha, mas é a primeira grande empresa do setor a investir neste tipo de aparelho (salvo, claro, se a Amazon anunciar algo igual daqui algumas horas…). Ele pesa apenas 134 gramas, mede 10,1 x 13,3 cm – para fins de comparação, é menor que um Pocket da L&PM… a tela é e-ink, com 5″ e 16 tons de cinza, e o aparelho ainda tem Wi-Fi. E detalhe: o preço de venda será de módicos US$ 79,99… o eReader mais barato vendido por este preço, era o Kindle com anúncios embutidos, disponível até poucos dias atrás (e somente para o mercado norte-americano). Um outro detalhe deste mini eReader são capas coloridas traseiras, que poderão ser trocadas conforme a preferência do cliente e prometem ser mais confortáveis para segurar o aparelho.

O ponto fraco do Kobo Mini é a bateria: segundo a especificação no site da Kobo, dura apenas 2 semanas com o WiFi desligado, o que indica que a redução no tamanho do aparelho acaba comprometendo esse importante aspecto. O Kobo Glo, comparativamente, indica que a bateria dura 1 mês com o WiFi desligado e 55 horas contínuas se a iluminação estiver ligada. Mesmo assim, para quem passa horas dentro de trens e ônibus, entre outros lugares apertados, um eReader pocket de verdade pode ser extremamente útil, sem falar no conforto e facilidade para carregar em qualquer lugar, até mesmo em um bolso.

Agora só resta descobrirmos duas coisas:

1) Quando a Kobo e a Livraria Cultura começarão a vender os eReaders? Vamos torcer que não seja apenas na segunda quinzena de dezembro, e comecem antes disto;

2) Se a Kobo irá vender no Brasil com “preços agressivos”, quais serão os aparelhos? Os que estão saíram de linha, ou estes da linha nova, estalando de tão novos?

Fontes: Kobo announces three new readers: one glows, one’s small, one runs Ice Cream Sandwich — Engadget e Kobo

Para publicar seu livro em ebook ou impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Nossos números são difíceis de bater: desde 2010, a Simplíssimo comercializou mais de 1 milhão de exemplares e publicou mais de 1.000 ebooks e livros impressos. Veja como funciona a publicação para seu livro, aqui.

 

SimplíssimoÉ, só dá eles: Kobo anuncia três novos eReaders, horas antes da Amazon

Comments 5

  1. 2013 definitivamente será o ano dos e-readers no Brasil

    pelo menos para a pequena elite literária tupiniquim

    por enquanto vou aproveitando pra ler ebooks kindle sem DRM no meu iriver Story promocional

  2. Torço para que a Kobo seja bem sucedida no Brasil. No início desse ano, cansei de esperar e importei um Kobo Touch. Posso dizer que a experiência de leitura é excelente, outro ponto forte é a liberdade para comprar os livros onde quiser. Recentemente, houve uma atualização do software e ficou melhor ainda, a passagem de páginas está bem mais rápida. Agora, quanto à luminosidade na tela do Kobo Glo isso não acabaria indo contra o ponto forte do ereader, de possuir tela sem iluminação, mais apropriada para leitura? Espero que vocês possam testar brevemente um desses e nos informar.

  3. Olá Eduardo, gostaria de frisar a última parte do meu comentário anterior e, quem sabe, ter uma opinião do site: vocês já testaram um desses e-readers com iluminação? O efeito é semelhante a um tablet? É “confortável”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *