Bandeira dos Estados Unidos

Estados Unidos de Olho Nas Ações Antitruste da Apple e Big Five

da Redação Ebooks, Notícias Deixe um comentário

Quem achou que o assunto estava morto, aqui está ele de volta. No ano passado, noticiamos que a União Europeia estava investigando a Apple e cinco das editoras do grupo conhecido como Big Six devido a cartel de preços para competir com a Amazon e encarecer o preço dos eBooks. Agora, quem está no encalço dessas empresas é o Departamento de Justiça (DOJ) dos Estados Unidos.

Entenda tudo sobre o preço de agência nessa matéria especial.

De acordo com artigo no The New York Times, o DOJ avisou a Apple, Simon & Schuster, Hachette Book Group, Penguin Group, Macmillan e a HarperCollins que eles podem ser processados caso fique provado que há uma ação antitruste orquestrada pelo grupo. As informações são se uma fonte sigilosa, e por isso não há provas de que seja verdade. Todos os envolvidos no caso se recusaram a dar declarações oficiais.

“Em uma entrevista de 2010, Steve Jobs pode ter acidentalmente escorregado quando questionado pela mídia por que um consumidor pagaria quase US$15 para ler um best-seller na iStore quando o mesmo e-título poderia ser comprado através da Amazon por US$9,99. O magnata do computador respondeu simplesmente que os preços seriam os mesmos para ambos os varejistas a partir de agora, aludindo a uma mudança na estrutura de preços da Amazon da qual Jobs provavelmente não poderia legitimamente falar a menos que ele fosse de algum modo parte de tudo, lembra Mercy Pilkington do Good E-Reader.

Os editores negam agir em conjunto para aumentar os preços. Disseram aos investigadores que a mudança para o preço de agência aumentou a competição, permitindo que mais livreiros eletrônicos prosperem. William Lynch, presidente-executivo da Barnes & Noble, deu um depoimento ao Departamento de Justiça no qual declarou que abandonar o modelo de precificação de agência poderia efetivamente resultar em um único jogador ganhando o mercado ainda mais do que tem hoje (no caso, a Amazon), segundo pessoas próximas ao caso. Nenhum porta-voz da Barnes & Noble quis comentar.

Segundo o site eBookNewser, a Apple já se defendeu oficialmente no caso. O texto inclui o trecho:

“… Se a Amazon era uma ‘ameaça’ que precisava ser reprimida por meio de uma conspiração ilegal, por que a Apple ofereceria o aplicativo da Amazon Kindle no iPad? Por que a Apple concluiria que conspirar para forçar a Amazon a não perder mais dinheiro com eBooks os deixaria aleijados na competição? E por que a Apple perceberia a necessidade de uma solução ilegal à “ameaça Kindle” quando tinha uma óbvia e legal solução que implementou – ou seja, a introdução de um dispositivo multiuso (o iPad), cuja comercialização e sucesso de vendas não foi centrada em vendas do eBook?”

Para mim, não colou.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Sobre o autor

da Redação

Para entrar em contato com a redação do Revolução eBook, escreva para sac@simplissimo.com.br

SimplíssimoEstados Unidos de Olho Nas Ações Antitruste da Apple e Big Five

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Currently you have JavaScript disabled. In order to post comments, please make sure JavaScript and Cookies are enabled, and reload the page. Click here for instructions on how to enable JavaScript in your browser.