Faturamento com eBooks em 2011 no Brasil: meros 862.000 reais

Eduardo Melo (Simplíssimo) Ebooks, Notícias 5 Comments

É o que diz a coluna Radar Online, na Veja. Pesquisa conjunta e inédita da CBL e SNEL indicou que os 5.235 títulos digitais lançados em 2011, arrecadaram naquele ano meros 862.000 reais – algo como R$ 164 por cada livro, demonstrando que os eBooks ainda não se pagam.

Este novo dado reflete a realidade com mais consistência, comparando-o com os 1.2 milhão de compradores de eBooks no Brasil encontrados na última pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”. Sem falar nos astronômicos 15 milhões de compradores de eBooks brasileiros encontrados pela Bowker. Será que tem tanto brasileiro assim comprando e lendo eBooks em inglês?

Fonte: Radar online

Para publicar seu livro em ebook ou impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Nossos números são difíceis de bater: desde 2010, a Simplíssimo comercializou mais de 1 milhão de exemplares e publicou mais de 1.000 ebooks e livros impressos. Veja como funciona a publicação para seu livro, aqui.

 

SimplíssimoFaturamento com eBooks em 2011 no Brasil: meros 862.000 reais

Comments 5

  1. Algo estranho na tela. Achei que era bug do Chrome DEV, mas qualquer outra página está normal. Só aqui aparece uma espécie de deslocamento da página no canto superior esquerdo.

    Sei lá, posso estar enganando.

    Por favor, confirmem isso!

    Abraço.

  2. Acho que muitos dos brasileiros que compram e-books o fazem na Amazon e similares sim. Mesmo quem não lê inglês, pode encontrar títulos em espanhol e português. Creio que cerca de 60% dos e-books que comprei não foram adquiriso em livrarias nacionais.

  3. A maioria dos livros que possuo comprei na Amazon, diretamente do meu Kindle.
    Comprei também na Saraiva, Gato Sabido, IBIS e noutras livrarias virtuais.

    O problema é o tal do DRM que tenho que “passar a borracha” para ler no meu kindle.
    Claro que também leio no meu Note, mas prefiro ler no eReader da Amazon.

    Na boa, quero muito dar preferência para as livrarias brasileiras, mas essa coisa de quebrar travas enche o saco!
    Não vendem livros “MOBI’s”!
    Que fazer? – Até quando teremos que suportar essa irritante situação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *