Kobo Mira 10 Países: Japão e Brasil São Prioridade

19/01/2012
 / 
por da Redação
 / 

Saindo um pouco do saturado assunto Apple, passemos a outra grande companhia. A Kobo, recentemente comprada pela grande empresa de ecommerce Rakuten por US$315, começa a traçar seus planos para 2012 e anunciou que deve projetar entradas em 10 países. O Japão e o Brasil são os principais alvos.

O grande interesse nesses dois países já tinha sido ressaltado no ano passado. A Rakuten leva um grande comércio eletrônico no Japão, e aqui no Brasil também possui um braço empresarial, além de já ter inaugurado uma loja virtual que vende variedades. No Japão, já possui uma loja de livros digitais, a Raboo, que tinha como “leitor oficial”o eReader Panasonic UT-PB1. Agora, faz todo sentido levar os ótimos produtos da Kobo para o Japão e para essa loja já bem equipada.

A Rakuten também já está em negociação com as editoras para trazer mais eBooks e, de acordo com o The Digital Reader, está tendo mais sucesso do que a Amazon. Há planos para que o Kobo Touch, um dos eReaders da empresa, custe aproximadamente 10 mil ienes, o equivalente a US$130. Esse valor é metade do que os japoneses pagam pelos modelos mais famosos de eReaders no país.

Já no Brasil, a Kobo agradece por estar em companhia de uma grande empresa. “Quando olhamos para uma grande oportunidade como o Brasil, tentar sozinhos poderia ter sido difícil. Com o apoio da Rakuten, temos a chance de entrar e nos tornarmos bons jogadores no páreo”, disse Todd Humphrey, EVP de Desenvolvimento de Negócios da Kobo.

E com a chegada da Amazon e do Google Books, a Kobo avisa que vai dar prioridade ao país junto com o Japão, uma vez que velocidade passa a ser um fator importante no caso.

Com informações do Publishing Perspectives e The Digital Reader.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

19/01/2012
 / 
por da Redação
 / 

Saindo um pouco do saturado assunto Apple, passemos a outra grande companhia. A Kobo, recentemente comprada pela grande empresa de ecommerce Rakuten por US$315, começa a traçar seus planos para 2012 e anunciou que deve projetar entradas em 10 países. O Japão e o Brasil são os principais alvos.

O grande interesse nesses dois países já tinha sido ressaltado no ano passado. A Rakuten leva um grande comércio eletrônico no Japão, e aqui no Brasil também possui um braço empresarial, além de já ter inaugurado uma loja virtual que vende variedades. No Japão, já possui uma loja de livros digitais, a Raboo, que tinha como “leitor oficial”o eReader Panasonic UT-PB1. Agora, faz todo sentido levar os ótimos produtos da Kobo para o Japão e para essa loja já bem equipada.

A Rakuten também já está em negociação com as editoras para trazer mais eBooks e, de acordo com o The Digital Reader, está tendo mais sucesso do que a Amazon. Há planos para que o Kobo Touch, um dos eReaders da empresa, custe aproximadamente 10 mil ienes, o equivalente a US$130. Esse valor é metade do que os japoneses pagam pelos modelos mais famosos de eReaders no país.

Já no Brasil, a Kobo agradece por estar em companhia de uma grande empresa. “Quando olhamos para uma grande oportunidade como o Brasil, tentar sozinhos poderia ter sido difícil. Com o apoio da Rakuten, temos a chance de entrar e nos tornarmos bons jogadores no páreo”, disse Todd Humphrey, EVP de Desenvolvimento de Negócios da Kobo.

E com a chegada da Amazon e do Google Books, a Kobo avisa que vai dar prioridade ao país junto com o Japão, uma vez que velocidade passa a ser um fator importante no caso.

Com informações do Publishing Perspectives e The Digital Reader.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Esta página ainda não tem comentários. Quer comentar primeiro?

Deixe um comentário