Livro Infantil para iPad, por Onde Começar?

Eduardo Melo - Simplíssimo Ebooks Deixe um comentário

Reproduzo aqui uma ótima conversa, sobre livros infantis para iPad, que surgiu na nossa lista de discussão Revolução Ebook (você pode participar, faça sua inscrição aqui).

Uma assinante da lista de discussão, a Patrícia, levantou a dúvida abaixo, que muita gente tem perguntado por aí: tendo o projeto de um ebook definido, quais passos tomar, para executar o planejamento e transformar o ebook em realidade? Selecionei as respostas mais completas, certamente ainda vão ajudar várias pessoas que passarem por aqui.

Patrícia:

Olá Grupo,

Queria a opinião de vocês para ver qual a melhor estratégia para o meu projeto. Estou criando um livro infantil para IPAD que terá alguns recursos bem básicos, de áudio e alguma ajuda para leitura pois é dirigido principalmente para crianças com dislexia.

Já tenho a imagem e o texto, separados. Para onde eu vou agora? Indesign, quark?

Este livro ainda é um protótipo pois é de um autor conhecido e estou usando apenas para explorar as possibilidades.

Obrigada desde já.

Márcio Duarte:

A resposta para essa pergunta é bem complexa. Há muitas maneiras de criar conteúdo para essa plataforma (iOS), e geralmente a solução está atrelada à uma forma de distribuição.
Por exemplo, a Apple tem um formato de ePUB com layout fixo que é voltado para este tipo de livro, mas ao mesmo tempo fica restrito para leitura no iBooks no iPad, e só pode ser distribuído na loja deles, ou seja, para todos os efeitos a distribuição é como a de um aplicativo para o iPad. Este tipo de ePub não é tão complexo como um aplicativo, e é menos oneroso de se produzir também. Além disso, possui recursos de leitura em voz alta que são interessantes, desde que você possua a narração do conteúdo.
O ePUB “normal”, ainda é mais voltado para livros com muito texto e, embora tenha mais opções de distribuição, é bem limitado quanto ao layout e recursos multimídia que você poderia utilizar, já que cada eReader tem suas particularidades nesse sentido. Poderia ser produzido nele, mas não é muito indicado para o tipo de livro que descreveu.
A solução da Adobe (DPS) seria uma saída mas, no momento, é destinada a publicações com grandes “tiragens”, e tem um custo proibitivo para publicações não-seriadas, como um livro infantil, por exemplo (eles estão resolvendo este problema com uma versão para aplicativos não-seriados, mas ainda não está disponível). Não são indicadas para o seu caso. O mesmo acontece com as soluções da Woodwing.
Fora isso, há diversas soluções de construção de aplicativos, cada uma com suas vantagens e problemas. Elas podem produzir versões do aplicativo para várias plataformas diferentes (iOS, Android, Windows Mobile, etc), mas isso insere um outro nível de complexidade e de custo no projeto.

Miguel:

Já me dedico aos epubs em Portugal há algum tempo. O ePub é um formato bom para livros de texto corrido, com alternância com uma ou outra imagem, mas no que diz respeito à interactividade, é um formato muito pobre.
Já equacionei fazer um livro infantil e pesquisei a maneira melhor para o fazer.
A Adobe a Quark e a Woodwing têm soluções boas , mas mais viradas para a revista e o jornal e os custos são bastante altos, visto que além dos custos da apple ($100 por ano para ser developer) têm custo com as próprias aplicações e com os serviços de criação das aplicações.
Para um livro infantil, para já, é preciso saber programar mesmo. Ou C (linguagem usada no Xcode), ou Corona, que usa linguagem Lua, ou action scrip 3 através do flash. A segunda é bastante mais fácil mas não deixa de ser uma linguagem de programação. Se se quer um livro infantil é obrigatório interactividade, som e animação e para já só programando é que isso se torna possível.

Claudio Soares:

Eu apostaria (quase todas as fichas, pelo menos 90% delas) no EPUB 3.
Aqui, um exemplo apresentado pela Liza Daly (http://blip.tv/file/4701407).
A propósito, a O’Reilly acaba de publicar o e-book What is EPUB 3?
O download é grátis.

Fernando Tavares:

Eu também acredito e aposto no ePub3! Ainda ele não está implementado, e de fato não existe nenhum aparelho que leia ele. O que o iBooks da Apple lê é o assim chamado pré-ePub3, ou seja um ePub com recursos do ePub3. Mas é só uma questão de tempo.
Com a noticia hoje que a Adobe irá abandonar para os dispositivos móveis o uso do flash, o HTML5 se reforça ainda mais! http://revolucaoebook.com.br/bomba-adobe-abandona-flash-para-android-mobile-abraca-html5/
Convém aos editores aprender um pouco mais as vantagen do uso do HTML5. Pode parecer um argumento difícil, mas é um pouco como conhecer como se imprime um livro, serve pra saber o que realmente é possível fazer.
Aqui tem uma demonstração de um ePub que fiz usando alguns recursos do ePub3 no iBooks da Apple: http://www.youtube.com/watch?v=2gbKXsXtQmI&feature=channel_video_title
Tenho outros em preparação, mostrando o que dá pra fazer para livros infantis.

Para publicar seu livro em ebook ou impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Nossos números são difíceis de bater: desde 2010, a Simplíssimo comercializou mais de 1 milhão de exemplares e publicou mais de 1.000 ebooks e livros impressos. Veja como funciona a publicação para seu livro, aqui.

 

SimplíssimoLivro Infantil para iPad, por Onde Começar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *