O Que Andam Falando Sobre o Caso do Modelo de Agência

da Redação Ebooks, Notícias Deixe um comentário

A decisão do governo americano de processar a Apple e outras cinco editoras em relação ao Modelo de Agência ainda vai dar muito o que falar. São muitos os insatisfeitos com o caso, e a repercussão só aumenta. Vamos fazer um update do que está acontecendo:

Authors Guild e Scott Turow criticam decisão

Scott Turow, líder do Authors Guild, lançou uma declaração condenando o acordo:

“A solução proposta é uma viagem chocante através do espelho. Ao permitir à Amazon recomeçar a vender a maioria dos títulos com prejuízo, o Departamento de Justiça está, basicamente, evitando que as livrarias tradicionais tentem entrar no mercado de eBook, ao mesmo tempo que impulsiona o comércio fora dessas lojas e no mundo proprietário do Kindle . O acordo prevê um obstáculo gigantesco para os concorrentes da Amazon no negócio de eBook, permitindo à Amazon funcionar sem lucro, algo que deixa que o mercado proibitivo a qualquer outra pessoa que poderia pensar em entrar, e um mau negócio para quem já está lá.”

Apple se pronuncia sobre o caso

Após dois dias depois da decisão do governo, a Apple emitiu um parecer oficial sobre o caso. O porta-voz da empresa, Tom Neumayr, deu uma declaração:

“A acusação de conspiração do Departamento de Justiça contra a Apple simplesmente não é verdade. O lançamento da iBookstore em 2010 promoveu a inovação e a concorrência, quebrando a aderência monopolista da Amazon na indústria editorial. Desde então, os clientes têm se beneficiado de eBooks que são mais interativos e envolventes. Assim como nós permitimos que os desenvolvedores definam seus preços na App Store, os editores definem os preços na iBookstore.”

Barnes & Noble pode ser uma das maiores perdedoras nessa história

Assim que foi anunciada a decisão do Departamento de Justiça americano, as ações da B&N caíram 6,4%. Isso porque, a partir de agora, a Amazon pode voltar a oferecer preços baixos nos eBooks de algumas das Big Six, operando em prejuízo como sempre fez, e criando um forte relacionamento com o consumidor.

Não há como a Barnes & Noble lutar contra isso. Além do mais, ela irá sentir os resultados desse caso mais profundamente na hora de renovar contratos, e a longo prazo nas vendas em geral, uma vez que a Amazon vende as mesmas coisas que ela vende. E por ter uma cadeia de varejo inchada, com muitas lojas físicas, poderá não aguentar o tranco.

“A Amazon acaba de ganhar uma arma – preço – para colocar em seu arsenal que tinha vivido sem isso por dois anos”, disse Mike Shatzkin, consultor do setor de livro. “Eles vão usá-lo e todos os concorrentes irão sofrer. A Barnes & Noble é provável que tenha problemas de reunir os recursos necessários para lutar a batalha de preços, enquanto eles também estão tentando manter as lojas abertas e desenvolver sua própria tecnologia.” completou.

Jornais se pronunciam a respeito

A Times afirmou:

“O Departamento de Justiça estava certo em processar a Apple e as cinco editoras sobre o preço dos eBooks porque qualquer cartel que inflaciona os preços é ruim para os consumidores. No entanto, a Amazon tem usado o prejuízo na venda de livros descaradamente para atrair clientes, minando editoras, com pouca consideração para o valor de escrever. O modelo de preços da Apple promove a concorrência, permitindo que uma gama de livreiros que seriam eliminados pela Amazon prosperem . Uma investigação completa é necessária, que inclui a Amazon e preserve a concorrência em um mercado que interessa aos leitores em todos os lugares.”

O New York Times também:

“O Departamento de Justiça, finalmente, mirou o monólito monopólio que ameaçava dominar a indústria do livro. Então, imagine o choque quando a bala destinada a ameaças à concorrência passou zunindo pela Amazon – que não muito tempo atrás tinha um estrangulamento de 90% em eBooks – e em vez disso, atingiu cinco das seis maiores editoras e da Apple, um jogador menor no reino de livros.”

Com informações do The Digital Reader, eBookNewser, Good E-Reader, Digital Book World e The Bookseller.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Sobre o autor

da Redação

Para entrar em contato com a redação do Revolução eBook, escreva para sac@simplissimo.com.br

SimplíssimoO Que Andam Falando Sobre o Caso do Modelo de Agência

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Currently you have JavaScript disabled. In order to post comments, please make sure JavaScript and Cookies are enabled, and reload the page. Click here for instructions on how to enable JavaScript in your browser.