SimplíssimoAs Aventuras do Pilha e as Historinhas do Kadu
9786580461097

Você está a 60 segundos deste ebook!

ou compre a versão impressa na Amazon


R$ 12.90 | pixcartoes


eBook As Aventuras do Pilha e as Historinhas do Kadu

o garoto a(u)rtista


Tu, leitor, és o amigo do Pilha, na dura tarefa de sobreviver, sem terem nada, além de um ao outro. Histórias de honestidade, coragem e, sobretudo, lealdade. Não importa a tua idade, tu terás 10 ou 11 anos, como o Pilha… e descobrirás o quanto do mundo pode ser carregado em seus ombros de criança. Sobreviva com o Pilha, com o dinheiro juntado no semáforo, enfrente o mundo, a vida e os homens. Descubra, ao final de cada dia, o significado de honestidade, de coragem e, acima de tudo, lealdade!

Kadu é um garoto autista. Mas tu não podes entender isso, sendo criança como ele. Ele é, em algumas coisas, diferente de ti. E, pelas diferenças, tu tens uma certeza: ele é um artista! Quem precisa de quem, nessas breves histórias? Tu precisas ajudar um garoto autista? Ou tu és ajudado por um garoto artista? Tudo dependerá de como tu olhares o Kadu!

“Seus pequenos personagens nos lembram das pessoas que uma vez fomos antes de o mundo nos transformar em quem somos. Com os atos aleatórios de bondade destacados e a inocência exibida, histórias como essas nos fazem sentir a necessidade de encontrar os caminhos para nós mesmos.”
Maria Al Ameen

“Pronto! Nesse momento literário, não há como conter as lágrimas dentro de mim.”
Ana Isabel Rocha Macedo

Você pode ler este livro digital sem aplicativos, aqui mesmo neste site. Também poderá fazer download do arquivo (formato .ePub) para ler no app ou aparelho de sua preferência.

Como ler este ebook? Você decide o jeito

Confira nosso passo-a-passo, em vídeo, mostrando como você compra e lê seu ebook aqui mesmo.

Dados do Livro

  • Por Luís Augusto Menna Barreto
  • ISBN: 9786580461097
  • Língua: por
  • Páginas: 63
  • Formato: ePub

Comece a ler aqui!!


No domingo, normalmente o Pilha vai pro centro ajudar o irmão dele vender DVD que eles pegam com um chinês. Mas nesse domingo, o Pilha chegou cedo no muro onde a mãe tinha arrumado pra gente dormir.  “Bora mané”!  “Onde Pilha?” “Shhh! Bora. Vamos ganhar uma grana!” Eu fui com o Pilha. Ele sempre sabe o que fazer. Acho que caminhamos umas duas ou três horas, atravessando a cidade, até que lá, depois de uma curva na Zona Norte, apareceu uma baita barraca de lona. Era um Circo! “Vai trabalhar no circo? Virou palhaço, Pilha?” “Cala a boca, mané! Tu é muito burro!” O Pilha é mesmo esperto: o ingresso pro circo tava trinta pilas. O Pilha descobriu um lugar meio escondido, que dava pra passar embaixo da lona. Daí, que ele começou a passar umas crianças por baixo da lona, por 2 pilas cada. Eu ficava cuidando, enquanto ele passava as crianças! Mas eu só podia olhar de um lado, né? E o circo é redondo, então, não tinha como cuidar os dois lados! Daí, que um palhaço chegou pelo outro lado e pegou o Pilha! Ouvi ele gritar!  Eu saí correndo desesperado. Tinha que dar um jeito de salvar o Pilha! Mas como é que se salva quem vive salvando a gente? Quando cheguei correndo, vi o Pilha sendo arrastado pelo braço pra trás de um caminhão. Corri o mais que pude, mas quando cheguei não vi mais eles, e nem ouvi os gritos do Pilha! Fiquei desesperado! Comecei a procurar por tudo que era lugar. Quando eu tava olhando um domador dar comida para dois leões que pareciam mais magros que eu, tomei um susto com uma mão no meu ombro! Era o Pilha! “Bora, Mané! Ainda dá pra ganhar mais uns pilas.” “Mas Pilha, o que houve? Como tu te livrou do palhaço?” O braço dele tava meio vermelho, mas era só. Eu nem imaginava o que ele fez, mas o Pilha sempre dá jeito em tudo! “Depois te conto, bora!” “E se o Palhaço volta?” “Não vai voltar!” E o Pilha logo logo arranjou mais crianças pra passar por baixo da lona! Eu fiquei cuidando de novo. Mas tava apavorado! Depois, começou um barulhão. Parou de chegar gente! Ia começar o Circo. Tava louco pra ver. Mas o Pilha disse que a gente tinha que conseguir mais dinheiro. Não entendi muito bem, porque o Pilha não era louco por dinheiro. A gente sempre conseguia só pro que tava precisando! O Pilha nunca foi de juntar e ficar guardando. Ele sempre fala que dinheiro que a gente não usa é só papel velho que não serve pra nada! Mas fui com ele. E não sei de onde, ele conseguiu um isopor cheio de refrigerante. Era enorme, a gente quase nem podia carregar! “Bora vender que fica mais leve”, ele falou.

Simplíssimo Livros Ltda © 2010-2018 - Praça Conde de Porto Alegre, 37/11 - Porto Alegre/RS - 90020-130 - Brasil