SimplíssimoCrônicas do Paradoxo
9788595132559

R$ 26




eBook Crônicas do Paradoxo

O secretum magnum do Alto Amazonas


Portais dimensionais e cidades subterrâneas de civilizações exógenas, – e inclusive! O mistério de Akakor. Estranhamente esses mesmos lugares apresentam antiguíssimas pinturas de prováveis ET´s

O desaparecimento, na serra do Roncador,  de acima de cem pessoas na tentativa de resgatar a expedição Fawcett. Os terríveis “Mothmans selvagens”  denominados, pelos nativos, de “índios/morcegos”  surgindo em horas avançadas das “cavernas  sagradas”…

O lendário monstro Mapinguari  ou “Yeti  amazônico” e os bio robots  Grays com enormes UFO´s  triangulares.

Você pode ler este livro digital sem aplicativos, aqui mesmo neste site. Também poderá fazer download do arquivo (formato .ePub) para ler no app ou aparelho de sua preferência.

Como ler este ebook? Você decide o jeito

Confira nosso passo-a-passo, em vídeo, mostrando como você compra e lê seu ebook aqui mesmo.

Dados do Livro

  • Por stelio agathos
  • ISBN: 9788595132559
  • Língua: por
  • Páginas: 106
  • Formato: ePub

Comece a ler aqui!!


    Stélio Ágathos: formado cineasta, em Paris, viajou pelo Mundo procurando aquele sinal: “VESTÍGIOS DE RAÇAS ESTRANHAS, DE ACIMA DE UM MILHÃO DE ANOS ATRÁS” — NOSSOS ANTEPASSADOS PRÉ- CATACLÍSMICOS? – “NAS TERRAS DO “NOVO MUNDO”! ESSES POVOS POSSUÍAM APARELHOS ”AÉREOS” SOFISTICADOS, VIVIAM DURANTE SÉCULOS…”      Acreditando que o leitor teve conhecimento da obra TIMEU, de Platão, dialogando com Kritias, poderia ampliar seus conhecimentos seguindo as pesquisas de ”campo” do autor…     (ECXPLICAÇÃO SINOPSES: Platão, baseado aos relatos dos sacerdotes egípcios transmitidos por Sólon, descreve as terras das Américas com o seguinte: “alem do oceano” – isto é; alem das “Colunas de Hercules” – que significa;  a ilha de Atlantis “existem as “Grandes Terras”… Aconteceu a grande catástrofe… Durante uma só noite…”. Associadas, as “Grandes Terras”, com as “Águas da Vida”…)    DEDICATÓRIA     Dedico esta obra a Imprensa do Brasil, as emissoras de TV. do Estado do Grão Para: Cultura e TV. Liberal (Globo). As folhas de O Diário, Popular, Liberal, de Grão Para. A Folha de São Paulo, e a revista UFO, do Brasil, que foram as primeiras em aprovar e divulgar as minhas pesquisas. Como também á minha mãe falecida á Grécia que, generosamente, financiava a primeira obra publicada ao Brasil.      EXCLARECIMENTOS   Esta obra estava finalizada desde 1998 na expectativa de revisão, profissional e publicação com recursos próprios – grego de origem foi adquirindo o conhecimento do idioma, português, no próprio Brasil, durante as minhas peregrinações. Na minha chegada estava com fluente francês e inglês. Enquanto na Amazônia, in esperáveis acontecimentos na terra natal, em relação à situação financeira, foram seguidos pela burocracia das suas instituições representativas, instaladas em S. Paulo. Permanecendo assim com a simples legalização da P. Definitiva. E enquanto as empresas exigem legalização superior! Além disso, seguiu absoluta falta de informação, até dos parentes, esmagando a realização dos de mais planos e atrasando á expectativa até o ano de 2018 onde os Aliens “amazônicos” decidiram realizar um show de alta tecnologia aos Estados Unidos, aprovando os meus relatos. Casualmente alguém iniciou e a atual editora dos USA. Informada mente as minhas obras estão baseadas em evidencias pragmáticas, descartando teorias “futurísticas” sem indícios concretos, como por exemplo, as absurdas invenções da origem Draco (reptiliana ou draconiana) de que estão surgindo na Imprensa sobre á rainha da Inglaterra, ex-presidentes dos USA, cantoras de fama, etc. Sobre á atual obra; consideraria seu conteúdo o “Prefácio” da compreensão do Grande Mistério do Século. Incidências do passado e da atualidade que; estão transferindo ao leitor a realidade do enigma ufológico       APRESENTAÇÃO   Trata-se de um assunto crucial associado ao Passado da Humanidade? Assunto que exige sensibilidade e principalmente alta percepção para ser apresentado. Por mais que estava relatando sobre indícios, em relação á Existência Extraterrestre, em entrevistas, palestras e inclusive em tiragem de obra anterior, desde a década dos anos 90. Em paralelo a isso, quase todas as nações divulgam relatos sobre estranhos fenômenos! Oitenta por cento desses, de forma nenhuma seriam casos naturais! Nisso deveria, no entanto alertar de que; às vezes, estão surgindo casos movidos de especulação e até paranóia atraindo as massas populares, as quais abandonam finalmente os lugares da “aparição” profundamente decepcionados. Venho então, apresentar terríveis fenômenos, desenrolados na Amazônia.      PROLOGO   Antigos textos de procedência desconhecida, verdadeiros escombros de eras incógnitas, apresentam intrigantes narrações sobre o infinito, o tempo, a Sétima Eternidade, etc. A. Einstein, N. Bohr, W. vonBraun, materializando a visão filosófica de sábios da antiguidade, lançavam novas teorias mudando as Leis da Física e o destino da Humanidade. A força nuclear, resultando a bomba atômica, destrói Hiroshima e Nagasaki, anunciando o fim da Segunda Guerra Mundial. J. B. Oppenheimer denomina-se “pai da bomba atômica”. Mais tarde cientistas de categoria mundial referem-se aos black holes e worm holes, como “túneis” no espaço-tempo,e logo foram imaginadas viagens supondo que os Aliens saberiam anular a enorme força gravitacional no interior do vórtice eletromagnético. E eis, a irrecusável pergunta: Tratar-se-ia de uma regressão á sabedoria dum remotíssimo passado? Textos pré-druidicos, registros do Oriente, provindos das profundezas dos séculos, reforçam a evidencia da tese. Deixando á complicadíssima resposta para a seqüência das análises, estou inicialmente introduzindo-os em relação aos Unidentified Flayng Objects que constituem como descobriremos durante os demais capítulos, “o tronco” principal dos Grandes Enigmas. Geralmente os governos nada divulgam em relação seus dossiês ultra-secretos. Aos Est. Unidos a famosa Área 51, próxima a Groom Lake, de caráter altamente sigiloso e acesso extremamente proibido. E também o fenômeno foi de mais comercializado pelo cinema. Exceção de pouquíssimos filmes, inclusive de Steven Spielberg, os de mais foram criando uma imagem errônea, humanizado seres do além. Não se trata dos “Contos da China” e sim de seres que: envolvem “mudanças de imagem”. Entre as importantes regiões do planeta a Amazônia oferece perspectivas muito interessantes escondendo segredos mais complexos de que acreditavam Francisco de Orellana, Sir Walter Raleigh, de La Contamine, Betty Meggers, Emilio Goeldi, etc. Vestígios milenares de Arqueologia Monumental apresentam fortes indicações que o planeta recebeu, em épocas imemoriais, SERES CÓSMICOS! Finalizando deveria esclarecer que não estou dominado de nenhum dogmatismo e nem pertenço a nenhuma doutrina. E tampouco foi interessado pela Magia, porque acreditou que o berço de todo, esta em ronda essas civilizações enigmáticas. Sem deixar de acreditar em Deus, estou simplesmente influenciado pela vontade do saber e lancei a eminente obra para fomentar o interesse sobre questões cruciais relacionadas com uma pré-história da raça humana desconhecida, projetando certa luminosidade na interrogação vulgar: “estamos sozinhos”? Iniciando esta obra no estilo biográfico, para introduzir o leitor em relação ao porque que foi interessado pelo assunto. E seguindo estreitamente ligado a idéia central. Eis uma espontânea expressiva. Cada autor possui seu próprio ideal de comportamento, cabe ao leitor criticar. De minha parte estou prometendo um vôo de primeira classe em direção aos indecifráveis mistérios. Aperte o cinto de segurança, haverá turbulências.                           PRIMEIRA PARTE …………………………………….     “O homem é um ser ativo. O intelecto não foi dado para conhecer e sim para atuar.”   Hans Vaihinger             (1) CONSCIENTIZANDO MISTÉRIOS   “Suas águas haviam serpentes monstruosas, vozes de pesadelos, criaturas encantadoras”…   Um barco pintado em tonalidades intensas navegava lentamente nas águas cinza amareladas de um grande afluente do rio Amazonas. Com sua fabricação estilo nativo, do motor mono cilindro, estava produzindo um monótono barulho inclinando-se pelo peso dos viajantes que carregavam a metade da seção esquerda na espera do embarque. Ao terminar o manejo, o pequeno grupo atravessava a velha ponte em direção á costa florestal, sob o último brilho de um enorme disco solar que, naquele momento, atingia as nuvens num entretom avermelhado e espontaneamente sumia por trás do Horizonte, Estava com vontade de mergulhar nas águas, o calor superava todos os limites. O Sol parecia queimar o cérebro como conseqüência natural da localização da cidade de Manaus, próxima a cidade de Macapá onde passa a linha do Equador.   —— Não entre nessas águas – disse a criatura sex appeal. – As piranhas te devorarão em segundos.   —— Que é piranha? – Perguntei cheio de curiosidade.    —— É um pequeno peixe dos rios – respondeu á moça. Esses agem em cardumes despedaçando rapidamente sua presa, até um boi.   —— Mas veja a maloca, lá em cima.   Perante nossa posição podia claramente perceber um estabelecimento no estilo indígena rodeado pela vegetação densa. Mal tinha concluído a observação e a moça percebendo a minha curiosidade, disse novamente;   —— Ainda tem muitas coisas para aprender:   Recém chegado no Brasil do México, onde estava estudando as pirâmides. Havia um vôo, México-Manaus, da companhia brasileira VARIG e apesar das fortes turbulências aterrissamos em terra firme. Passei para um mundo diferente em relação ao estilo europeu,mexicano e afro-americano, das ilhas Bahamas. Procurava algo não tão bem esclarecido, pois sabia que entraria em um ambiente desconhecido.   —— Parece bom aqui. Ha uma paisagem extraordinária – disse a moça de fala suave. A sedutora majestade das sombras caia lentamente sobre a selva. No terraço daquele hotel estilo folclórico, observa-se, sob a luminosidade do disco lunar, a enorme floresta amazônica que me parecia um infinito oceano de plantas! E a pesar do limitado vocabulário que dispunha, em relação ao idioma, entendia o que a rosa nascente dizia: “A floresta virgem começa onde acabam as águas deste rio. Dizem os mais velhos que nessas águas vive a cobra encantada…” A enorme floresta amazônica, que pausava na minha infância em filmes cinematográficos, estava rodeando nosso ponto transmitindo o charme da natureza enigmática. O mistério estava próximo!  Seja Manoa – cidade povoada por prováveis, sobreviventes da Atlântida – sejam monumentos de civilizações perdidas, seja um mistério qualquer, permanecia em absoluto silencio. Mas eu havia motivos em ouvir, confirmando:“Guardo os meus segredos desde a profundidade dos séculos. Ao futuro, por singular acaso sucederas, porém algo melhor”. Ao futuro? Quem sabe? Mas vivia o agora!  Aproveitando uma música “imortal”, de fama internacional, envolvei-me naquele romance que estava florescendo:    —— Conhece as nossas lendas? Da Iara? Do Mapinguari? – Dizia agora a moça. Após ter recebido a espantosa mensagem amazônica e como a criatura elegante continuava falando, com seu jeitinho particular, deixei a mensagem gravada na memória. Ela havia, entre outros, noção do folclore regional introduzindo-me aos mistérios. Moça atraente, feições faciais perfeitas… Não deveria ter passado muito tempo desde que uma série de alto-falantes havia aumentado seus decibéis, vibrando a pista sob as pálidas luzes coloridas que decoravam o ambiente, transmitindo frenéticos ritmos norte-americanos seguidos pelos padrões das ilhas do Caribe. Pois me envolvi na dança, até amanhecer, sob um clima úmido em um cantinho leve florestal da região amazônica… Como nada existe sem fim, a linda noite terminava aos poucos. Tudo pertencia ao passado, confirmando nossa passagem pelo tempo.  AS AVENTURAS DO VIAJANTE   O apartamento, mais próximo ao estilo do conforto europeu do que das malocas indígenas, fazia parte do refran daquela noite tropical. O sofá atraiu a minha atenção mergulhando em seu interior, sob a claridade de um abajur apoiado em uma espécie de totem, similar daqueles africanos, que os nativos usam para espantar os “maus espíritos”.   Enquanto isso a garota dirigiu-se ao saveiro dizendo, por mais uma vez, em tom misterioso: “Ainda tem muito, para      

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Simplíssimo Livros Ltda © 2010-2018 - Praça Conde de Porto Alegre, 37/11 - Porto Alegre/RS - 90020-130 - Brasil