Para Amazon, ebooks a US$ 9,99 fariam o “bolo crescer”

31/07/2014
 / 
por Eduardo Melo
 / 

Segue a briga da Amazon com a gigante do mercado editorial, Hachette. No mais recente round, a Amazon argumentou publicamente e com números, uma raridade, o que ela entende como sendo o cenário ideal para sua parceria com a Hachette. Em um texto foi publicado no fórum americano do Kindle, a companhia de Jeff Bezos desfiou seus argumentos. Para a Amazon, definir o preço dos ebooks em US$ 9,99 ou menos pode gerar até 16% mais vendas, e aumentar o público leitor em até 74%, do que se o ebook for vendido acima deste limite. Isto “aumentaria o bolo” a ser repartido entre a loja, a editora e o autor. Além disso, a Amazon defende que autores e editoras deveriam dividir, igualmente, 70% do valor das vendas – ficando os 30% restantes com a própria Amazon. Vale ressaltar que a Hachette paga aos seus autores 25% das vendas.

O propósito da Amazon ao revelar números e sugerir uma divisão “igualitária” das vendas, é criar discórdia nas fileiras da Hachette – segundo se tem notícia, a editora paga aos autores apenas 25% das vendas dos ebooks. A pretexto de defender preços mais baixos para os ebooks, a Amazon parece se valer da velha estratégia de “dividir, para conquistar”.

Não está claro ainda qual será o desfecho desta disputa. A escalada retórica da Amazon indica que as suas estratégias contra a Hachette não estão surtindo o efeito desejado. Até agora, pelo menos.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

31/07/2014
 / 
por Eduardo Melo
 / 

Segue a briga da Amazon com a gigante do mercado editorial, Hachette. No mais recente round, a Amazon argumentou publicamente e com números, uma raridade, o que ela entende como sendo o cenário ideal para sua parceria com a Hachette. Em um texto foi publicado no fórum americano do Kindle, a companhia de Jeff Bezos desfiou seus argumentos. Para a Amazon, definir o preço dos ebooks em US$ 9,99 ou menos pode gerar até 16% mais vendas, e aumentar o público leitor em até 74%, do que se o ebook for vendido acima deste limite. Isto “aumentaria o bolo” a ser repartido entre a loja, a editora e o autor. Além disso, a Amazon defende que autores e editoras deveriam dividir, igualmente, 70% do valor das vendas – ficando os 30% restantes com a própria Amazon. Vale ressaltar que a Hachette paga aos seus autores 25% das vendas.

O propósito da Amazon ao revelar números e sugerir uma divisão “igualitária” das vendas, é criar discórdia nas fileiras da Hachette – segundo se tem notícia, a editora paga aos autores apenas 25% das vendas dos ebooks. A pretexto de defender preços mais baixos para os ebooks, a Amazon parece se valer da velha estratégia de “dividir, para conquistar”.

Não está claro ainda qual será o desfecho desta disputa. A escalada retórica da Amazon indica que as suas estratégias contra a Hachette não estão surtindo o efeito desejado. Até agora, pelo menos.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Esta página ainda não tem comentários. Quer comentar primeiro?

Deixe um comentário