Pesquisa sobre eBooks

As Perguntas Sobre eBooks Estão Corretas?

Maurem Kayna Autores Deixe um comentário

Muito se tem debatido em relação ao selfpublhising, especialmente nos meios em que se discute os eBooks. Há quem defenda que este canal alternativo é A via de acesso ao mercado editorial para os novos autores. Acompanhando os últimos bate-papos, ou até bate-bocas, vejo que a discussão orbita em torno de alguns temas básicos:

  • a importância ou não da “seleção” promovida pela publicação via editora (editora, não prestadora de serviços em publicação);
  • a necessidade ou não de proteção contra a pirataria;
  • o papel da web e, especialmente das redes sociais, como meio pelo qual o autor independe pode vir a atingir seu público alvo.

Nenhum dos debates permite desenbocar em conclusões irretorquíveis, mas alguns permitem ao menos definir uma opinião pessoal em relação a um cenário apresentado. Mas, lendo esta matéria, fiquei me perguntando se estas seriam mesmo as questões mais relevantes, ao menos do ponto de vista do autor.

Será que muitos autores estreantes e/ou entusiastas da nova tecnologia não estão querendo alcançar um tipo de sucesso, teoricamente mais acessível com o advento do eBook, que está intimamente associado ao formato tradicional (impresso) dos livros? Se neste momento histórico tanta coisa mudou e está mudando em torno do que conhecíamos, entendíamos e apreciávamos dos livros, porque o reconhecimento e status dos escritores continuaria a se manifestar nos mesmos moldes de antes? Ou será que as coisas não mudaram tanto assim?

Tentando apresentar o mesmo tema por outro ângulo: pode um jovem escritor que publicou de modo independente o seu eBook esperar para sua obra o mesmo tipo de reação que o lançamento de um livro impresso provocava na década de 60? E essa reação, não estaremos fantasiando em cima de alguns casos pouco frequentes? Espero que desculpem a ignorância das questões apresentadas, pois não estudei teoria literária, história da literatura ou qualquer coisa que o valha, o que talvez fosse requisito para manifestar-me acerca do tema, mas falo apenas como cidadã comum e interessada nos fatos que surgem cotidianamente.

Levantando ainda outras perguntinhas: será que os autores têm mesmo clareza de seus objetivos com o ato de publicar? E essa expectativa deveria ser distinta para livros impressos e eBooks? O que vejo subliminarmente nas discussões parece centrar o foco em “como se tornar um best-seller“. Ainda não assisti debates direcionados à análise do valor literário das obras disponibilizadas em eBook (o que, bem sabemos, não é sinônimo de vendas).

Pesquisa sobre eBooks

Pesquisa sobre eBooks

Não tenho nem mesmo as minhas respostas para partilhar. Sei apenas que se tivesse de escolher entre vender muito ou ver um eBook meu disseminado por redes sociais e sendo criticado com consistência, ficaria com a segunda opção. Mas, há que se considerar que pagar minhas contas através da literatura não é (ao menos ainda) uma expectativa. Não sei o que pensam outros autores que têm se aventurado nessa nova possibilidade. Tentei averiguar isso há algum tempo, mas salvo poucos retornos, muito atenciosos (14 autores de eBooks responderam a pesquisa), continuei sem ter as respostas. Mas nem por isso abandonarei as perguntas. E você, o que diria a respeito??

Para publicar seu livro em ebook ou impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Nossos números são difíceis de bater: desde 2010, a Simplíssimo comercializou mais de 1 milhão de exemplares e publicou mais de 1.000 ebooks e livros impressos. Veja como funciona a publicação para seu livro, aqui.

 

SimplíssimoAs Perguntas Sobre eBooks Estão Corretas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *