O PROBLEMA DO NEXO DE DISPLICÊNCIA NO PROCESSO ABSTÊMIO

27/06/2022
 / 

O PROBLEMA DO NEXO DE DISPLICÊNCIA NO PROCESSO ABSTÊMIO

 

A jornada abstêmia denominada hipotética e ideal consiste numa longa permanência no processo de abstinência a fim de gerar evolução do nível de consciência (aumento da lucidez abstêmia) fazendo com que a pessoa mude sua forma de pensar, sentir e agir e, com isso, não retorne ao anterior sistema ideológico adicto[2]. Entretanto, na realidade, o que se vislumbra é a existência de uma comunicação constante entre o modelo abstêmio e seus desvios. Dessa maneira, por exemplo, a pessoa pode estar na fase de abstemaior e, às vezes, realizar determinadas condutas condizentes com desvios de 2º, 3º ou 4º escalão.

 

Todos esses desvios ocorrem constantemente no cotidiano abstêmio. Então surgem dois problemas: o primeiro é a frequência com que ocorrem esses desvios e o segundo é o tempo em que o abstêmio permanece desviado, ou seja, a intensidade.

 

Quanto maiores forem esses dois elementos (frequência e intensidade da exposição) maior será a probabilidade de o abstêmio mergulhar no processo de recaída (desvio de 1º escalão).

 

A comunicação, linha, liame ou conexão entre o eixo abstêmio e os desvios de 2º, 3º ou 4º escalão é denominada NEXO DE DISPLICÊNCIA, e, por sua vez, o desvio de 1º escalão consiste apenas no processo de recaída. No site da abstemiologia existe um quadro que apresenta um rol de diferenças básicas entre nexo de displicência e processo de recaída.

 

Conforme se depreende da análise anterior, existe uma enorme diferença entre nexo de displicência e processo de recaída. O processo de recaída culmina com a reintoxicação física do abstêmio e, em casos mais graves, com o retorno ao processo de adicção ou sistema ideológico adicto (S.I.A. negativo). Dessa maneira, o processo de recaída se direciona a execução de atos que culminarão, na última etapa, com o (re)uso de drogas/álcool. De outro lado, o nexo de displicência consiste na prática de condutas incompatíveis com o processo de abstinência, mas que não fazem parte da pirâmide da recaída porque são atos realizados com pouca frequência ou intensidade.

 

Para mais informações:  COMPRANDO LIVROS TÉCNICOS

 

Bons estudos!

(Escritor: Péricles Ziemmermann)

Compartilhe:

Livros mais recentes de Péricles Ziemmermann

ImageImageImage
27/06/2022
 / 
por Péricles Ziemmermann
 / 

O PROBLEMA DO NEXO DE DISPLICÊNCIA NO PROCESSO ABSTÊMIO

 

A jornada abstêmia denominada hipotética e ideal consiste numa longa permanência no processo de abstinência a fim de gerar evolução do nível de consciência (aumento da lucidez abstêmia) fazendo com que a pessoa mude sua forma de pensar, sentir e agir e, com isso, não retorne ao anterior sistema ideológico adicto[2]. Entretanto, na realidade, o que se vislumbra é a existência de uma comunicação constante entre o modelo abstêmio e seus desvios. Dessa maneira, por exemplo, a pessoa pode estar na fase de abstemaior e, às vezes, realizar determinadas condutas condizentes com desvios de 2º, 3º ou 4º escalão.

 

Todos esses desvios ocorrem constantemente no cotidiano abstêmio. Então surgem dois problemas: o primeiro é a frequência com que ocorrem esses desvios e o segundo é o tempo em que o abstêmio permanece desviado, ou seja, a intensidade.

 

Quanto maiores forem esses dois elementos (frequência e intensidade da exposição) maior será a probabilidade de o abstêmio mergulhar no processo de recaída (desvio de 1º escalão).

 

A comunicação, linha, liame ou conexão entre o eixo abstêmio e os desvios de 2º, 3º ou 4º escalão é denominada NEXO DE DISPLICÊNCIA, e, por sua vez, o desvio de 1º escalão consiste apenas no processo de recaída. No site da abstemiologia existe um quadro que apresenta um rol de diferenças básicas entre nexo de displicência e processo de recaída.

 

Conforme se depreende da análise anterior, existe uma enorme diferença entre nexo de displicência e processo de recaída. O processo de recaída culmina com a reintoxicação física do abstêmio e, em casos mais graves, com o retorno ao processo de adicção ou sistema ideológico adicto (S.I.A. negativo). Dessa maneira, o processo de recaída se direciona a execução de atos que culminarão, na última etapa, com o (re)uso de drogas/álcool. De outro lado, o nexo de displicência consiste na prática de condutas incompatíveis com o processo de abstinência, mas que não fazem parte da pirâmide da recaída porque são atos realizados com pouca frequência ou intensidade.

 

Para mais informações:  COMPRANDO LIVROS TÉCNICOS

 

Bons estudos!

(Escritor: Péricles Ziemmermann)

Compartilhe:
Esta página ainda não tem comentários. Quer comentar primeiro?

Deixe um comentário