Image
Consulte o frete e o prazo de entrega:

Você receberá uma edição impressa -- confira o frete na próxima página.

Tamanho

56 páginas

Avaliação

Adicionar uma avaliação
SEMEANDO CRIPTOMOEDAS: UMA PERSPECTIVA PARA O AGRONEGÓCIO NACIONAL SEMEANDO CRIPTOMOEDAS: UMA PERSPECTIVA PARA O AGRONEGÓCIO NACIONAL
Avaliação*
0/5
A classificação é obrigatória
Sua avaliação
A avaliação é obrigatória
Nome
O nome é obrigatório
* Please tick the checkbox to proceed
0,0
Baseando-se em 0 avaliação
5 estrelas
0%
4 estrelas
0%
3 estrelas
0%
2 estrelas
0%
1 estrela
0%
0 de 0 avaliações

Nenhuma avaliação encontrada

SEMEANDO CRIPTOMOEDAS: UMA PERSPECTIVA PARA O AGRONEGÓCIO NACIONAL

O livro “Criptomoedas no agronegócio brasileiro” aborda a inserção e o impacto das criptomoedas no setor do agronegócio no Brasil, um segmento marcado por intensa burocracia nas negociações e uma pesada carga tributária que encarece os produtos. Diante de desafios como a falta de atualização do Plano Safra para acompanhar o aumento dos custos de produção, as criptomoedas surgem como uma alternativa viável para a comercialização de produtos agropecuários e investimentos no setor, exigindo dos produtores conhecimento mínimo para sua operação.

 

A obra destaca a movimentação legislativa em direção à regularização dos criptoativos no país, com a aprovação de um Projeto de Lei pelo Senado Federal que visa estabelecer um marco regulatório para as criptomoedas. Tal iniciativa poderá fomentar a criação de novos ativos digitais e conferir maior segurança jurídica ao setor.

 

Entre os exemplos citados estão o AgroBonus da Agrovantagens, cuja cotação varia conforme a participação do agronegócio no PIB brasileiro; o CibraCoin da Cibra, atrelado ao preço do fosfato monoamônico; o Coffee Coin da Minasul, equivalente a um kg de café verde; e o Cultecoin da startup Culte, voltado para pequenos produtores rurais.

 

Além disso, discute-se sobre uma nova criptomoeda relacionada ao agronegócio que está sendo desenvolvida com o objetivo de financiar pequenos e médios produtores. O texto também ressalta as potencialidades das criptomoedas na geração de informações sobre rastreabilidade e procedência dos produtos ao consumidor final.

 

Por fim, alerta-se para os desafios enfrentados pelos agricultores na adoção dessas tecnologias, como a carência de conectividade rural e falta de capacitação em mercado digital.