10 Dicas Para Autores ou Escritores Independentes

da Redação Autores 4 Comments

O que os autores independentes devem fazer para obter sucesso nas vendas de seus eBooks? Aqui vão 10 dicas elementares!

1. Escreva um bom livro, edite-o e passe-o pela revisão: muitos pensam que só basta escrever seu livro e publicar, que todos irão gostar e comprar. Porém, lembre-se da última vez em que você encontrou um erro que passou em um livro de uma grande editora. Não incomodou, não tirou sua atenção do livro? Acha que o seu será perdoado se for sem sentido, se não tiver uma ordem racional ou se houver algum erro? Edição e revisão é um bom [leia mais]

Simplíssimo10 Dicas Para Autores ou Escritores Independentes

Fenômenos da autopublicação nos EUA chegam ao mercado brasileiro

Eduardo Melo - Simplíssimo Ebooks, Mercado, Notícias Deixe um comentário

Saiba mais sobre as trajetórias de Amanda Hocking, Elle Casey e Jessica Sorensen, que ficaram famosas vendendo e-books.

Em um passado não muito distante, o principal alavancador de carreiras literárias na internet eram os blogs. Dessa plataforma saiu uma geração inteira de novos autores quase independentes. Quase, porque muitos precisaram ser encontrados por editoras de renome para que pudessem fazer da literatura profissão. Com a popularização de leitores digitais e a venda de e-books por sites como a Amazon e a loja da Apple, uma etapa pôde ser pulada. Escritores anônimos passaram a disponibilizar suas obras digitalmente, sempre a preços [leia mais]

SimplíssimoFenômenos da autopublicação nos EUA chegam ao mercado brasileiro

Web 2.0 e Literatura – um fracasso(?)

Maurem Kayna Notícias 4 Comments

Esse termo de interpretações tão amplas – a tal web 2.0 – costuma me fazer torcer um pouco o nariz, até pela imprecisão do seu significado, que dá margem a muitos usos. Mas vou me ater aqui ao mais comum (para minha experiência, ao menos), que envolve ações coletivas de comunidades de usuários online. Em tese, seria uma difusão de conteúdo autorizado, criticado e configurado por uma massa de usuários ou invés de um único ou pouco s indivíduos. Descrita como uma conectividade de “muitos-para-muitos” (many-to-many) em oposição à transmissão “um-para-muitos” (one-to-many). A representação soberana dos nossos sonhos de democracia. [leia mais]

SimplíssimoWeb 2.0 e Literatura – um fracasso(?)