Tendência: 2012 Será o Ano dos Short Books?

21/11/2011
 / 
por da Redação
 / 

Esse já é um assunto que eu martelo faz tempo. Entre as tendências para a evolução do livro digital, cito os livros mais curtos como sendo um deles. Escrevi um artigo para o 2º Congresso Internacional CBL do Livro Digital que sugeria novas ideias de eBooks. Ele foi baseado no livro The Yahoo! Style Guide, um guia de estilo do site Yahoo! para escrever para a internet.

O conteúdo na internet precisa ser conciso, curto, prático, pois quem usa a internet nem sempre quer perder tempo com grandes textos. Então uma das minhas ideias era a de oferecer para venda livros menores, mais curtos, ou fragmentado em capítulos. E, junto com o Kindle Singles – livros com pequenos histórias vendidos pela Amazon, a preços menores –, essa ideia tem se mostrado muito acertada, pois está sendo seguida por muitos.

Estava guardando algumas notícias para condensar em um artigo, e o post do site Publishing Perspectives foi decisivo para postar hoje esse texto. Nós já noticiamos aqui que não só a Amazon, mas também a Penguin, já lançaram short stories para venda.

Porque essa é uma boa ideia?

  • É um livro menor e mais barato, logo o leitor pode ir comprando aos poucos, experimentar uma compra digital, conhecer mais autores;
  • O custo de livros mais curtos, para editoras, muitas vezes não valia sua publicação. Com livros digitais, é quase o mesmo valor lançar algo com 100 ou 10000 “páginas”;
  • O workflow fica mais dinâmico, é mais rápido colocar à venda histórias menores, autores podem entregar trabalhos com mais frequência;
  • Podem ser vendidos no esquema de “conjuntos”, ou até como assinatura.

Além dessas grandes empresas e editoras, outras estão apostando no formato. Notícias recentes mostram que a Universidade de Princeton, a Scholastic e a Open Road também já estão com suas short stories a caminho. Como podemos ver, são áreas diferentes nesse modelo, como a acadêmida, infantil e até uma empresa de mídias.

Um outro exemplo interessante é o da eBookPie, que com a Slicebooks pretende vender livros que são cortados em pequenos pedaços, remixados e revendidos. Novas formas de gerar conteúdo, renda e exposição!

Retomando o artigo citado no começo, Edward Nawotka afirma que a Bloomsburry do Reino Unido anunciou que 2012 será o ano das Short Stories. Para comemorar isso, deverá lançar uma coleção mensal sobre o tema. Esse ano está sendo o ano das start-ups e das editoras que estão anunciando suas coleções no formato. Assim, o ano que vem deverá trazer a popularização do tema.

Vamos acompanhar.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

21/11/2011
 / 
por da Redação
 / 

Esse já é um assunto que eu martelo faz tempo. Entre as tendências para a evolução do livro digital, cito os livros mais curtos como sendo um deles. Escrevi um artigo para o 2º Congresso Internacional CBL do Livro Digital que sugeria novas ideias de eBooks. Ele foi baseado no livro The Yahoo! Style Guide, um guia de estilo do site Yahoo! para escrever para a internet.

O conteúdo na internet precisa ser conciso, curto, prático, pois quem usa a internet nem sempre quer perder tempo com grandes textos. Então uma das minhas ideias era a de oferecer para venda livros menores, mais curtos, ou fragmentado em capítulos. E, junto com o Kindle Singles – livros com pequenos histórias vendidos pela Amazon, a preços menores –, essa ideia tem se mostrado muito acertada, pois está sendo seguida por muitos.

Estava guardando algumas notícias para condensar em um artigo, e o post do site Publishing Perspectives foi decisivo para postar hoje esse texto. Nós já noticiamos aqui que não só a Amazon, mas também a Penguin, já lançaram short stories para venda.

Porque essa é uma boa ideia?

  • É um livro menor e mais barato, logo o leitor pode ir comprando aos poucos, experimentar uma compra digital, conhecer mais autores;
  • O custo de livros mais curtos, para editoras, muitas vezes não valia sua publicação. Com livros digitais, é quase o mesmo valor lançar algo com 100 ou 10000 “páginas”;
  • O workflow fica mais dinâmico, é mais rápido colocar à venda histórias menores, autores podem entregar trabalhos com mais frequência;
  • Podem ser vendidos no esquema de “conjuntos”, ou até como assinatura.

Além dessas grandes empresas e editoras, outras estão apostando no formato. Notícias recentes mostram que a Universidade de Princeton, a Scholastic e a Open Road também já estão com suas short stories a caminho. Como podemos ver, são áreas diferentes nesse modelo, como a acadêmida, infantil e até uma empresa de mídias.

Um outro exemplo interessante é o da eBookPie, que com a Slicebooks pretende vender livros que são cortados em pequenos pedaços, remixados e revendidos. Novas formas de gerar conteúdo, renda e exposição!

Retomando o artigo citado no começo, Edward Nawotka afirma que a Bloomsburry do Reino Unido anunciou que 2012 será o ano das Short Stories. Para comemorar isso, deverá lançar uma coleção mensal sobre o tema. Esse ano está sendo o ano das start-ups e das editoras que estão anunciando suas coleções no formato. Assim, o ano que vem deverá trazer a popularização do tema.

Vamos acompanhar.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Esta página ainda não tem comentários. Quer comentar primeiro?

Deixe um comentário