Publicações trocam aplicativos pela web

Eduardo MeloAtualizado em: Ebooks 3 Comments

Um aplicativo é o melhor caminho para vender publicações na Apple? Alguns jornais e revistas estão largando os aplicativos, em prol de soluções baseadas na Web. E os problemas destas publicações lembram muito os dilemas das editoras de livros, quando se vêem diante da escolha entre fazer um eBook habitual em ePub, ou aplicativos.

A consultoria VisionMobile analisou algumas das razões que levam publicações, como jornais e revistas, a abandonar os aplicativos e partirem para um modelo baseado na web – que ainda podem ser acessado nos iPads da vida, sem ficarem presos ao sistema da Apple. Isso é conseguido através do HTML5, a nova versão da linguagem de programação da Internet, que aos poucos vai se popularizando. Veja um trecho (tradução livre):

Os editores pensaram que o desenvolvimento e a manutenção de um aplicativo nativo para iPad seria rápida e com bom custo-benefício. A realidade está longe de ser esta: é difícil manter o desenvolvimento dos apps com uma equipe própria, e se recorre ao desenvolvimento por empresas especializadas, que é caro. É uma luta oferecer o conteúdo em vários formatos diferentes: uma versão para web, outra para iPad, outra para Android, outra para telas pequenas. A Web mobile [sites feitos para se adaptar a dispositivos móveis, de forma automática] oferece uma alternativa de baixo custo, que pode aproveitar melhor os recursos, minimizar os efeitos da fragmentação de dispositivos e tamanhos de tela, permitindo aos editores chegar mais longe, com um custo menor.

Trazendo este problema para a realidade brasileira, é preciso levar em conta o tamanho do público. O volume de pessoas que lêem em inglês e possuem um tablet, seja Android ou iPad, é bem maior que o de usuários que lêem português. Se recuperar o investimento com aplicativos escritos em inglês já é difícil, imagine se for um aplicativo de livro em português…

Veja a análise em detalhes aqui, no site da VisionMobile.

Para publicar seu ebook ou livro impresso, nas principais livrarias online, conheça o serviço de publicação da Simplíssimo. Desde 2010 a Simplíssimo já comercializou mais de 1 milhão de exemplares, para mais de 1.500 autores e editoras. Veja como funciona.

 

Sobre o autor

Eduardo Melo

Eduardo Melo é fundador da Simplíssimo e seu diretor-executivo desde 2010. É licenciado em História e Mestre em Teoria da Literatura.

SimplíssimoPublicações trocam aplicativos pela web

Comments 3

  1. “O volume de pessoas que lêem em inglês e possuem um tablet, seja Android ou iPad, é bem maior que o de usuários que lêem português.”

    Acredito que tenhas querido dizer o contrário, Eduardo, visto que não faz sentido esta frase no Brasil.

    1. Oi Vinicius. Eu quis dizer que o mercado de leitores em tablets, em língua inglesa, é muito maior que o de leitores em tablets, em língua portuguesa. Qual a lógica? Ora, se já é difícil ter retorno no investimento em um aplicativo de livro em inglês, imagine em português, que tem um público consumidor muito menor.

      1. Entendo, Eduardo. É que pelo contexto me pareceu se tratar de uma referência ao mercado nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Currently you have JavaScript disabled. In order to post comments, please make sure JavaScript and Cookies are enabled, and reload the page. Click here for instructions on how to enable JavaScript in your browser.