Na guerra da palavra, um tiro pela culatra (via Publishnews)

Clipping - Publishnews Ebooks, Mercado, Notícias

 

Confira o novo artigo de Julio Silveira, publicado esta semana no Publishnews. Julio comenta a mancada da Amazon, que para argumentar contra a editora Hachette, se valeu de uma citação incorreta de George Orwell.
“Neste fim de semana a Amazon deixou um “pedido importante” na caixa de e-mail de cada um de seus milhões de clientes, em nome dos “Leitores unidos”. O manifesto rogava a seus usuários que escrevessem desaforos ao megagrupo editorial Hachette, a quem acusava de “formação de quadrilha”. Era ainda um contra-ataque ao bombardeio dos “Autores unidos” que recusavam-se a servir de “escudos humanos”  na pendenga comercial. Ela foi escolher logo George Orwell como antiporta-voz. Comentando sobre o “elitismo” das editoras e comparando a revolução dos e-books à imensa popularização dos paperbacks (livros de bolso ou brochuras), a Amazon (mal)citou Orwell: “se os editores tivessem noção, se juntariam para acabar com [os paperbacks]”. Vivemos em uma época de informação na ponta dos dedos. Como explicar então que a Amazon não suspeitou que seus leitores iriam googlar a frase de Orwell. Quem o fez descobriu que o texto original é, na verdade, um elogio aos paperbacks e aos livros baratos.” Siga lendo no Publishnews.
SimplíssimoNa guerra da palavra, um tiro pela culatra (via Publishnews)