Ebooks não sentem crise e faturamento das editoras ultrapassa R$ 20 milhões

Eduardo Ebooks, Mercado, Notícias 9 Comments

Se a crise é sentida com força pelo mercado editorial, que experimenta retração consistente em quase todos os seus indicadores, o digital segue na direção oposta, registrando um faturamento crescente pelo terceiro ano seguido. Os dados podem ser conferidos na recente edição da pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro.

A pesquisa anual, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) sob encomenda da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), mostra que, no ano de 2015, 189 editoras venderam 1.264.517 ebooks, obtendo um faturamento de R$ 20,44 milhões. A quantidade de exemplares vendidos foi apenas 4,2% superior em relação ao ano [leia mais]

SimplíssimoEbooks não sentem crise e faturamento das editoras ultrapassa R$ 20 milhões

eBooks técnicos e científicos faturaram R$ 319,5 mil em 2011, diz CBL

Eber Freitas Ebooks, Notícias Deixe um comentário

No ano passado, as vendas de livros digitais na categoria CTP (Científicos, Técnicos e Profissionais) totalizaram 856 títulos, resultando em um faturamento de R$ 319,5 mil. A categoria ficou atrás apenas de Obras Gerais, que teve 4,1 mil títulos e R$ 399,5 mil unidades vendidas. Os números são referentes à pesquisa “Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro”, encomendada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e conduzida pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (Fipe/USP).

Ainda assim, o volume apresentado é pífio em relação às vendas dos livros físicos. Em 2011 foram vendidos nada menos que [leia mais]

SimplíssimoeBooks técnicos e científicos faturaram R$ 319,5 mil em 2011, diz CBL

O que CBL e SNEL esperam da Amazon

Eduardo Melo - Simplíssimo Ebooks, Notícias Deixe um comentário

A melhor matéria resumindo a pesquisa da CBL e do SNEL sobre o mercado editorial, divulgada ontem, foi da Maria Fernanda Rodrigues (Estadão). Ao menos, no quesito eBooks. Ela teve o cuidado de reproduzir a opinião das duas principais entidades do livro no Brasil a respeito da chegada da Amazon, expressas pelas suas presidentes. Duas declarações bastante diplomáticas e sincronizadas.

“Esperamos que a Amazon venha aumentar o mercado, não acabar com nenhum elo da cadeia e nem assombrar nenhum editor. Esperamos, então, que ela venha complementar a oferta de títulos e aumentar a possibilidade de distribuição de uma maneira mais igualitária dentro [leia mais]

SimplíssimoO que CBL e SNEL esperam da Amazon